Download PDF

A conjugação do 2.0 a gasolina com o motor eléctrico, permite ao CR-V híbrido chegar do 0-100 km/h em menos de 10 segundos

O novo híbrido da Honda

O primeiro SUV híbrido da Honda conjuga o 2.0 litros a gasolina com ciclo Atkinson (com variação de fase nas válvulas) com um motor eléctrico, alimentado por baterias de iões de lítio. A esta conjugação o construtor japonês atribuiu a designação de i-MMD “multimode drive technology” num sistema que permite uma apurada gestão do veículo e motorização. Além da aceleração disponibilizar os modos eco, ev e sport, a desaceleração permite escolher entre quatro níveis, que interferem no efeito de travão-motor, neste automóvel cuja transmissão utiliza o sistema de variação contínua “cvt”.

Como acontece na generalidade dos novos modelos, as cotas deste CR-V aumentaram. A distância entre-vias aumentou (+30 mm) e a largura total do automóvel ultrapassa os dois metros (2.117 mm). Por outras palavras e em ganhos de habitabilidade, estes podem ser medidos no espaço para as pernas à frente e atrás (+ 50 mm), ao nível da cabeça (+ 5 mm) e ao nível das ancas (+ 16 mm). No entanto, nem tudo aumentou neste novo Honda. Os pilares ‘A’ estão mais finos (10 mm) enquanto o formato da carroçaria foi melhorado para conseguir melhores ângulos de visibilidade para a frente. A visibilidade lateral está confiada a retrovisores de grandes dimensões, que também contribuem para ângulos-mortos em algumas manobras, enquanto na traseira, a existência de sensores e visualização da marcha-atrás, mitigam a redução de visibilidade nos pilares ‘C’ e óculo traseiro.

Face ao anterior modelo, as baterias reduzem a volumetria na bagageira, num automóvel com maiores cotas de habitabilidade e padrões de conforto

Neste automóvel que passa os quatro metros e meio (4.600 mm) a volumetria de bagagens começa nos 497 litros, passa pelos 1.064 com os assentos traseiros rebatidos, e pode chegar aos 1.694 utilizando a totalidade do espaço disponível até ao tejadilho, num compartimento de bagagens que pode chegar ao comprimento disponível de 1.830 mm. Quando equipado com via verde, este CR-V da Honda é classe 1. E noutros números, tem sete anos de garantia e outros tantos de assistência em viagem.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp

iuc

33.858,77

3.051,80

8.489,43

45.400,00

238,66

Novos comandos mais ergonómicos e Honda connect da segunda geração fazem parte do novo CR-V híbrido, apresentado com menor bagageira e melhores cotas de habitabilidade, face ao anterior modelo

Com bons acessos ao interior o novo híbrido da Honda concede boas cotas de habitabilidade, tanto na frente como na traseira. Os diversos ajustes permitem encontrar uma boa posição de condução e os comandos bem posicionados, traduzem um bom trabalho por parte dos japoneses em tornarem as funções do automóvel mais intuitivas face ao anterior modelo. A segunda geração do “Honda Connect” disponibiliza mais funções, mas consideramos que poderia ser mais intuitiva e ter evoluído como fizeram com os comandos.

O accionamento da transmissão é efectuado mediante botões colocados na consola, com o da marcha-atrás a funcionar através de pressão longitudinal, em vez do toque como os restantes comandos (P-N e D). Atrás do volante as patilhas (+ ou) servem para escolher um dos quatro níveis de desaceleração, com a quarta posição a ser muito eficaz em termos de travão-motor, a ponto de quase dispensar a utilização do sistema de travagem, bastante progressivo e eficiente.

 

Os comandos ao volante permitem visualizar os diversos sub-menus no painel de instrumentos com visor de 7″

Ao volante este híbrido permite três utilizações distintas: o modo EV totalmente eléctrico e com autonomia para dois quilómetros, desde que não se coloque o CR-V em acentuadas inclinações; o modo misto, no qual o 2.0 litros a gasolina conjuga o funcionamento com o motor eléctrico; um modo “sport” que concede andamentos mais entusiasmantes, sem penalizar os consumos de combustível. Num breve contacto ao volante e à média de 51,0 km/h, obtivémos 5,9 litros/100 km. Bem insonorizado e a conceder um agradável conforto de utilização, este CR-V continua a ter presente o tradicional ‘deslizar’ da transmisão “cvt” dando a impressão de que temos duas motorizações a funcionar… e de facto é isso que acontece e com bons resultados, qur a nível dinâmico como em termos de eficácia.

Gostámos –Gostámos +
– Insonorização do cvt

– Operacionalidade do multimedia

– Conforto de rolamento

– Habitabilidade e modularidade

– Comportamento dinâmico

– Consumos de combustível/autonomia

– Equipamento de série/segurança activa

Características técnicas

Honda CR-V 2.0 i-MMD 2WD CVT Lifestyle
motor4 cil-16V, 1.993 Atkinson, Euro 6D temp
potência kW(cv)/rpm107,0 (145,0)/6.200
binário Nm (kgm)/rpm175,0 (17,1)/4.000 + 315 Nm motor eléctrico
transmissãodianteira, variação contínua
jantes – pneus18 – 235/60 R 18

O novo híbrido da Honda