Download PDF

Com esta versão Sport a FIAT retoma uma tradição desportiva

Fiat 500 X Sport e sangue na guelra

Com cinco anos de comercialização e um sucesso digno de nota, a marca de Torino fez evoluir o 500 X para uma versão Sport. Nas dimensões exteriores, o comprimento continua abaixo dos quatro metros e meio (4.264 mm), enquanto a largura apresenta diferença significativa, desde os 1.796 mm aos 2.015 mm entre espelhos retrovisores. Na altura o Sport está mais próximo do metro e meio, registando menos 13 mm face aos Urban/Cross (1.595 mm) e na bagageira, esta chega aos 350/1.000 litros. Ao olhar para a silhueta deste “Sport”, as jantes de 19” e os pneus de baixo perfil deixam a impressão de que algo mudou neste 500 X.

 

Versátil na utilização, este Sport concede andamentos distintos

Num breve olhar para o interior, percebemos que há toda uma abordagem desportiva e, como adiante veremos, este “Sport” não deixa os créditos por rodas alheias, e permite que a marca retome uma tradição – a das versões desportivas. Todavia, a referida tradição, fica algures entre o revivalismo do Spider, as emoções de um Abarth e as cotas de habitabilidade de um ‘cinco portas’. Por outras palavras, o 500 X Sport permite deixar os miúdos na escola, ir buscar os sogros para almoçar e, entre trajectos, desfrutar dos 150 cv cuja gestão se distribui por dois pedais e duas patilhas. No tocante a números, a FCA propõe três escolhas distintas: o crédito convencional; o crédito “baloon” com a prestação final a chegar aos 30% do pvp; o leasing que concede a possibilidade de devolver, manter ou substituir a viatura por outra nova.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp

iuc

20.252,86

1.979,22

5.114,34

1.000,00

26.232,00*

171,18

* inclui 2.710,00 € opcionais; 5.000,00 € campanha; e 4,2 sipu.

Entrada

Prazo

Km

Revisões

Docs

Pneus

Seguro

Renda €

0%

48 meses

100.000

sim

sim

não

Sim (4%)

552,92

 

Mais baixo face a outras versões 500 X, o Sport prima por um dinamismo orientado para a desportividade

Com boas acessibilidades e boas cotas de habitabilidade no interior, foi fácil encontrar uma boa posição de condução, devido aos ângulos de conforto e vários ajustes entre assento, volante e coluna de direcção, estes últimos ajustados por forma a tornarem a experiência mais reactiva. No entanto, para estaturas mais elevadas (1,80 m) e quando se procura o ângulo de visibilidade lateral-direito, o espelho retrovisor interior fica em linha, característica mitigada pela existência de sensores em volta do 500 X Sport. Nas suspensões fomos encontrar o amortecimento selectivo, FSD – Frequency Selective Damping, que permite tornar mais neutro o comportamento dinâmico do automóvel. De acordo com os responsáveis da marca e face ao 500 X Cross, os ganhos são de 8% na aceleração lateral, 26% na subviragem e 17% para a sobreviragem. Discretas e colocadas atrás do volante, as patilhas (+ e -) permitem a selecção manual, de uma transmissão automatizada.

 

 

Na rota sadina com o vermelho da sedução

Um breve contacto ao volante, permitiu ir à descoberta de outro vermelho igualmente importante: sangue na guelra! Escondido entre a marginal e a principal avenida setubalense, o sangue na guelra é um restaurante que dá mais atenção ao peixe. No entanto, o primeiro ponto comum entre o restaurante e o 500 X Sport, teve a ver com o aproveitamento dos materiais, ou seja a reciclagem. Na decoração do restaurante, fomos encontrar peixes feitos com o aproveitamento de antigas embarcações, enquanto no “Sport” demos conta de vários tipos de materiais compósitos, nos quais destacamos a diversidade e finalização. Consultada a lista e como não podia deixar de ser, a escolha foi para um peixe vermelho – Cantaril – escalado e na grelha. Neste capítulo, também fomos encontrar coisas em comum! Ao colocar na grelha os 150 cv, e depois de devidamente escalados através da transmissão automatizada de seis relações, cedo percebemos que a suavidade, não é dos argumentos mais fortes, em especial quando avaliamos o escalonamento e a progressividade com que ‘aproveitam’ o desempenho do 1.3 turbo. Como atrás referimos, podemos começar por levar os miúdos à escola, efectuando uma condução mais apoiada no binário e reprises. De seguida, vamos buscar os sogros, utilizando um pouco mais de potência, tirando partido do conforto de rolamento. A ‘solo’ podemos utilizar tudo: explorar as acelerações, aproveitar as reprises e retirar do motor, todas as potencialidades, seja com os pés ou com as mãos. Com bom desempenho do sistema de travagem, neste breve contacto ao volante obtivémos um consumo de 8,5 litros/100 km à média de 61,0 km/h.

Gostámos –Gostámos +
– Colocação do retrovisor interior– Comportamento dinâmico

– Conforto de rolamento

– Refinamento na condução

– Versatilidade na utilização

– Acessos, habitabilidade e modularidade

Características técnicas

Fiat 500X Sport 1.3 Firefly Turbo DCT
motor

4 cil-16 V, 1.332 cc, turbo, Euro 6 D-temp

potência kW(cv)/rpm

110,0 (150,0)/5.500

binário Nm (kgm)/rpm

270,0 (26,4)/1.850

transmissão

Dianteira, automatizada de seis relações

jantes – pneus

19” – 225/40 R 19

Fiat 500 X Sport e sangue na guelra