Download PDF

A nova Giulietta do outro Romeo

Ao contrário do romance passado em Verona e imortalizado por Shakespeare, a marca italiana – Anonima Lombarda Fabbrica Automobili – regista invejável vitalidade, quer nos modelos actuais como nos modelos que, num futuro próximo, poderão alargar a oferta nas silhuetas e motorizações. A aposta consiste em apresentar sete modelos nos próximos três anos, retomando siglas como o 8C ou GTV, enquanto nas motorizações teremos desde os “plug-in” aos totalmente eléctricos. Quanto ao outro Romeo (que termina em ‘o’) talvez na vogal esteja o segredo que marcou o destino da marca, mesmo se considerarmos que a entrada de Nicola Romeo, não se deu pelas melhores razões. Quanto a este Giulietta, é natural que os puristas se questionem sobre a existência de uma motorização a gasóleo acoplada a uma transmissão automática, em especial para os que já tiveram oportunidade de conduzir um GTV ou mesmo os anteriores Giulietta. Por fim mas não menos importante, um olhar atento à silhueta e alguns elementos estéticos deste Alfa, revelam os anos do modelo italiano, entretanto globalizado pela FCA.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp*

iuc

22.329,64

3.358,09

5.909,39

1.045,00

36.762,42

145,05

*inclui sipu de 5,25 €, com 7.970,00 € opcionais e 4.000,00 € campanha

 

Os assentos dianteiros contribuem para o conforto deste Alfa, enquanto a possibilidade de utilizar a transmissão de forma sequencial e em modo dinâmico, transformam o Giulietta

Com uma acessibilidade satisfatória, o habitáculo deste Alfa concede boa habitabilidade à frente, enquanto nos lugares traseiros, estes ficam condicionados pelos ajustes efectuados nos lugares dianteiros. Por outras palavras e com condutor e passageiro de 1,80 m, resta pouco espaço para as pernas para quem se sentar atrás. Na bagageira, cuja abertura e acesso não será dos melhores da classe, registamos 350 litros de volumetria… que é capaz de chegar a perto de 1.000 litros com os assentos traseiros rebatidos. Ainda no tocante a espaço, demos conta de existirem poucos espaços de arrumos e mesmo junto às tomadas “aux e usb” não existe espaço para colocar um telemóvel, em especial se fôr um “smartphone”. No entanto, ao lado destas tomadas, fomos encontrar um comando que faz toda a diferença neste Giulietta. Um comando com três posições que deixa: tranquilos os utilizadores; satisfeitos os condutores; e felizes os puristas. Mediante três selecções, os 120 cv deste 1.6 Diesel podem: adaptar-se a todas as condições; permitem descobrir as vantagens da transmissão automática e economia de combustível; e por fim mas não menos importante, concedem dinamismo na condução, conjugando o comportamento das suspensões independentes com uma motorizaçao que é mais reactiva do que suave.

 

Aos comandos deste Giulietta, podemos considerar que existem duas vertentes distintas de utilização. Uma mais tranquila e vocacionada para a economia de combustível, conseguida com as duas primeiras escolhas, enquanto a escolha “dynamic” torna muito diferente a condução deste Diesel. O motor responde de uma forma mais brusca e mais enérgica, algo que se nota na subida de rotação. A transmissão e face aos outros dois modos, perde um pouco da suavidade na passagem das relações, mas não deixa de evidenciar um agradável escalonamento, para trabalhar os 120 cv. E dito assim, parecem ser poucos. No entanto, não podemos esquecer uma frase de um construtor italiano de pneus: a potência de nada serve se não existir controlo. No caso do Giulietta, existem dois tipos de controlo que convergem para uma dinâmica muito entusiasmante. Falamos das suspensões independentes à frente e atrás, e da possibilidade de transformar o selector da transmissão automática num comando sequencial. À medida que vamos exigindo do motor, as suspensões vão correspondendo e, nem mesmo a existência de pneus /40, retira algum conforto de rolamento, para o qual contribuem e muito, os assentos dianteiros. Num breve contacto ao volante e à média de 48,5 km/h, em percurso misto (AE, EN, Urbano) obtivémos médias de 5,65 litros/100 km/h.

Gostámos – Gostámos +
– acesso à bagageira e espaços de arrumos

– assistências à condução

– Comportamento dinâmico com 3 escolhas

– Conforto de rolamento

– Versatilidade de utilização

– Equipamento de série e segurança activa

– Conectividade e sistemas associados

 

Características técnicas

Alfa Romeo Giulietta 1.6 JTDM-2 TCT

motor

4 cil, 1.598 cc, ID+TGV+Intercooler, Euro 6B

potência kW(cv)/rpm

88,0 (119,7)/3.750

binário Nm (kgm)/rpm

320,0 (31,5)/1.750

transmissão

dianteira, manual de seis relações automatizadas

jantes – pneus

18” – 225/40 R 18

A nova Giulietta do outro Romeo