Download PDF

A exposição decorre até 27 de Janeiro de 2019

Com entrada gratuita das 10h às 13h e das 14h às 18h, as Galerias Municipais /EGEAC inauguram no próximo 15 de Novembro, pelas 18:00, no Pavilhão  Branco, a exposição individual Pavilhão das Formas Sociais, de Mariana Silva, com curadoria de Margarida Mendes, dando continuidade a uma programação que procura dar a conhecer o trabalho de artistas com um percurso já consolidado no âmbito da arte contemporânea. A história dos insectos sociais coloca questões sobre instinto, opostas em termos evolucionários à inteligência desde Darwin, representando estranheza e alteridade em contraposição à inteligência humana. Perguntando como é que a inteligência animal ou o comportamento de multidões podem ser reinterpretados na era algorítmica, esta exposição constrói uma meta-narrativa museológica que cruza eixos de reflexão, desenvolvendo-se como um sistema expositivo que se encadeia nos vários espaços do pavilhão.

Apresenta-se também – Do ponto de vista do mamífero – uma peça desenvolvida pela artista em 2017, onde podemos ver um insecto a ser indexado num museu, enquanto uma “voz off” nos reporta para a perspectiva de mentes não-humanas, sejam elas animais, alienígenas, ou robóticas, e onde podemos encarnar o ponto de vista de um insecto, ou mamífero mutante, na reificação da sua própria singularidade ocular. Por fim, toda a exposição está planificada no diagrama de utilização do espaço apresentado no piso cimeiro, introduzindo o visitante à meta-estrutura do Pavilhão das Formas Sociais.

Mariana Silva foi vencedora do prémio EDP Novos Artistas 2015 (Lisboa) e BES Revelação 2008 (Porto). Esteve em residência na Gasworks, Londres (2016) e ISCP, Nova Iorque (2009). Juntamente com o artista e escritor Pedro Neves Marques, desenvolve “inhabitants”, um canal “online” com reportagens exploratórias em vídeo e documentário (http://inhabitants-tv.org/).