Download PDF

Depois de um épico duelo com o malogrado Gilles Villeneuve, Jean-Pierre Pierre Jabouille deu à Renault a primeira vitória na F1 e a primeira vitória de um motor turbo.

Em 1977 e enquanto os outros construtores utilizavam os motores 3.0 atmosféricos, a Renault apostou no 1.5 turbo. Os monolugares com o motor atmosférico, eram mais pesados mas mais fáceis de controlar. Aliás, foram precisos dois anos, para que os franceses dominassem a tecnologia turbo, tanto os técnicos como os pilotos. E se por um lado demoraram a obter resultados, quando estes apareceram, contribuíram para as boas recordações do que tem sido a competição na F1. Em 1979 no GP de França em Dijon, o detentor da “pole position” terminou na primeira posição, depois de um épico duelo com o malogrado Gilles Villeneuve em Ferrari. Com Jean-Pierre Pierre Jabouille aos comandos, a Renault obteve a primeira vitória na F1 e a primeira vitória de um motor turbo. O companheiro de equipa René Arnoux conquistou a terceira posição.

Para 2016 e depois de consumada a aquisição da Lotus, a Renault prepara o regresso à F1, perspectiva bem mais aliciante do que abandonar, como chegou a estar em cima da mesa. A continuidade no fornecimento de motores à Red Bull, confrontar a supremacia da Mercedes e manter os accionistas satisfeitos, serão algumas das tarefas que se perspectivam trabalhosas, para a marca. No palmarés, 600 GP disputados, 168 vitórias, 12 títulos de construtores e 11 pilotos coroados como campeões do mundo.