Download PDF

Negócio sobre rodas

Clicar para começar e parar a reprodução das imagensMontado em Mangualde e disponibilizado numa única configuração, o Partner é proposto na versão L1 1.6 Hdi de 75 cv. E quanto ao Office, este pode ser adaptado a vários negócios. Este Peugeot equipado com um visor de 6,2”, exige algum tempo para que nos habituemos a algumas das funções, enquanto outras são muito intuitivas, com base no sistema Android.

 

 

15 cm que fazem diferença

Um dos primeiros menus que procurámos foi o da navegação com base no iGo. Em nossa opinião é dos mais fáceis de utilizar e também dos mais intuitivos. Em termos de funcionalidade, permite a construção de uma base de dados, que se tornará muito funcional na busca dos clientes usuais.
Com recurso a um “pen” ou telemóveis mais elaborados, ficámos com a impressão de que a ligação à net (3G/4G, Wi-Fi, Smartphone) é muto fácil e igualmente intuitiva no tocante à utilização. Aceder a um site e explorar os contactos é fácil e quando os números ou letras são pequenos, dois toques no visor accionam o “zoom” e já se torna mais fácil leitura.
A exigir um pouco mais de tempo estão as restantes funções, como a utilização da agenda ou acesso à caixa de correio electrónica. Para aceder a estas, o sistema exige uma pré-configuração e a partir daí tudo se torna mais fácil, tornando este Partner num verdadeiro escritório com rodas.
Este visor permite ainda a ligação a uma câmera que nos mostra a traseira do veículo quando a marcha-atrás está engrenada. Neste caso, também se exige alguma habituação, já que o visionamento não é automático ao engrenar a marcha-atrás. Há alturas em que precisamos de dois ou três toques no visor e percorrer os sub-menus que colocam a câmera ligada ao visor de 15 cm.

Equipamentos e funcionalidades

O Partner Office vem de série bem equipado para um veículo deste segmento. Por isso encontramos o acelerador automático, comandos eléctricos para retrovisores e elevadores dos vidros, fecho centralizado com comando à distância, ABS+REF e “airbag” para quem conduz. O ar condicionado e uma satisfatória distribuição de ar, servem o habitáculo preparado para três lugares, sendo o lugar do meio condicionado pela existência do selector da transmissão. No tocante aos arrumos, existem alguns espaços onde colocar pastas A4 e o rebatimento das costas dos bancos dos passageiros, pode ser usado como mesa de apoio. No compartimento de carga, é possível rebater uma parte da divisória metálica e ganhar algum espaço para transportar objectos mais compridos. Sem custos administrativos o preço desta versão é de 19.175 euros.

 

A bordo do escritório

Entrar e sair do Partner Office é tarefa fácil, bem como o ajuste da posição de condução ideal. Todavia, o separador entre o habitáculo e compartimento de carga, condiciona o ajuste longitudinal do banco de quem conduz. O ajuste da coluna direcção permite ganhar esapço para os joelhos e também contribui para a mobilidade e acesso. O bloco 1.6 de 75 cv não concede qualquer apontamento digno de registo nas acelerações ou reprises, mas permite andamentos agradáveis, essencialmente conseguidos pelo 1.6 Hdi.
O selector da transmissão de cinco relações, é fácil de manusear mas poderia ser mais preciso e menos invasivo no habitáculo, em especial para o lugar central.
No compartimento de carga, os acessos são bons, tanto pela lateral como pelas meias-portas traseiras, e o rebatimento de parte do separador, confere um centímetros extra no compartimento de carga. Em termos dinâmicos, a direcção poderia ser um pouco mais refinada e acompanhar o apuro de alguns modelos da gama da marca francesa. Consideramos bom o desempenho dos travões e suspensões, num veículo de trabalho e no qual 15 cm de visor, estabelecem toda a diferença, com sinal mais na funcionalidade.

Gostámos Mais

  • Eficácia do sistema Android
  • Modularidade dos assentos
  • Modularidade compartimento carga
  • Suavidade do motor
  • Comportamento dinâmico

Gostámos Menos

  • Colocação selector
  • Precisão do volante