Download PDF

Ao contrário da maior parte dos modelos da marca francesa, este Grand Scenic só está disponível com transmissão manual. Todavia, é sempre agradável efectuar perto de 600 quilómetros com um automóvel, e ter o depósito de combustível quase a meio. Mesmo que nas portagens nos cobrem classe 2. Com pouco mais de quatro metros e meio (4.635 mm) e a tara a rondar os 1.600 kg, este sete lugares, tem na modularidade do habitáculo um dos argumentos mais favoráveis. Além da volumetria da bagageira que pode variar entre os 233, 533 ou 1.737 litros, consoante rebatimento das segunda ou terceira fila de assentos, existem muitos espaços para arrumos (63 litros) e a posibilidade de utilizar pequenas plataformas, na parte posterior dos assentos. O habitual porta-luvas é em forma de gaveta, concedendo mais volume (11,5 litros) e melhor arrumação, mas é demasiado intrusivo no espaço para as pernas do passageiro. O rebatimento deste assento, garante um comprimento total de 2.850 mm. Com uma boa ergonomia e agradável disposição dos comandos, o destaque recai no visor táctil de 8,7” a partir do qual se gere muita da informação, conectividade e gestão do veículo.

No que diz respeito a valores, a primeira proposta da marca francesa para o segmentos dos híbridos, custa menos 1.000 € face à versão convencional e destaca-se pelo nível de equipamento de série e dispositivos de segurança activa.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp

iuc

27.503,72

1.268,63

6.617,64

35.890,00

145,05

O Grand Scenic disponibiliza sete lugares e volumetria entre os 233 a 1.737 litros

As cotas de acessibilidade são boas e as relativas à habitabilidade são melhores. Envolventes, os assentos dianteiros concedem diversos ajustes e uma posição de condução confortável, ainda que a consola central condicione a mobilidade entre os assentos dianteiros. Na segunda fila de assentos, o rebatimento é fácil e assegurado mediante accionamento de uma pequena e discreta alavanca. No entanto, será boa prática afastar a cabeça do respectivo assento que dispara como uma mola quando accionado. De igual forma como acontece com a terceira fila de assentos, depois de rebatidos, garantem um fundo plano.

 

Através do visor central, podemos configurar vários desempenhos, com destaque para os conseguidos nos dinâmicos e áudio. No primeiro, estão disponíveis os ajustes Neutral, Sport, Comfort, Personalizado e Eco, aos quais se associam diferentes cores e apresentações dos dados no painel de instrumentos. No áudio, estão disponíveis várias sonoridades.

Em termos dinâmicos, os franceses deram especial atenção ao sistema de travões, que inclui o dispositivo de travagem activa de emergência com detecção de peões (AEBS) activo entre os 7 e 160 km/h. A este dispositivo e para enriquecer a segurança activa, juntam-se o ABS com apoio à travagem de emergência, o ESC que inclui a assistência no arranque em subida, e o avisador de saída de faixa de rodagem.

 

No capítulo da motorização, ao Diesel de 110 cv junta-se um motor de 10 kW (7,4 cv) alimentado por uma bateria de 48 Volts. Na prática, esta conjugação proporciona melhores acelerações e reprises, além de contribuir para um efeito de travão-motor mais eficaz.

Face ao peso quando pronto a rodar (+/- 1.600 kg) o Grand Scénic não concede grandes brilhantismos nas performances, apesar do bom escalonamento e fácil manuseamento da transmissão de seis relações. Se há versão em que gostaríamos de ver a transmissão automatizada EDC, esta é uma das que colocaríamos no topo da lista. É verdade que face ao convencional 110 DCi este híbrido, faz desaparecer os hiatos nas passagens entre relações – daí as melhores reprises, e também contribui para melhorar a relação peso/potência – daí as melhores acelerações. Num breve contacto ao volante (586 km dos quais 121 a zero de consumo) efectuámos 4,8 l/100 km à média de 53,8 km/h estabelecidos num percurso misto de AE+EN+Urbano.

Gostámos – Gostámos +
– manuseamento da porta traseira

– ausência de EDC

– Equipamentos de série e segurança activa

– Eficácia dos sistema híbrido

– Comportamento dinâmico

– Habitabilidade e espaço de arrumos

– Conforto de rolamento

Características técnicas

Renault Gran Scenic 110 Dci Hybrid Assist
motor 4 cil, 1.461 cc, Euro 6, Turbo, Conduta comum, Filtro Partículas
potência kW(cv)/rpm 81,0 (110,00)/4000
binário Nm (kgm)/rpm 260 (25,5 )/1.750
transmissão Dianteira, manual de seis relações
jantes – pneus 20” – 195/55 R 20