Download PDF

LEXUS_CT_200H_22_DPL_2014Colocado no mercado em 2011 o CT da Lexus foi conquistando posições. Na actualidade e em termos globais, representa 25% das vendas da marca japonesa, posicionada como sendo o complemento exclusivista, da generalista Toyota. No entanto, o CT Hybrid tem outros compromissos num caderno de encargos que é algo exigente. As dimensões e a cota de altura evidenciam as pretensões desportivas – ou melhor dizendo da desportividade do modelo – que inclui um módulo Sport nas três escolhas para utilizar a motorização híbrida. Esta resulta da conjugação do 1.8 a gasolina com ciclo Atkinson com o motor eléctrico. No motor de 1.798 cc a potência máxima chega aos 73 kW (99 cv) e pela mesma norma (DIN) o motor eléctrico pode debitar até 60 kW. Em termos práticos, estamos a falar de um automóvel com menos de 100 g/km de CO2, mas o que retivémos do contacto ao volante, foram os 5,0 l/100 km com uma média de 43 km/h.

LEXUS_CT_200H_45_DPL_2014

Os assentos dianteiros concedem um bom nível de conforto

 

Quando atrás referimos a desportividade do modelo, esta começa na acessibilidade e posição de condução. No capítulo da habitabilidade, esta é bem melhor nos assentos dianteiros do que nos traseiros, já que nestes últimos encontramos condicionantes no espaço para as pernas, em função do ajuste longitudinal dos assentos dianteiros. Por outras palavras, se pretender alojar quatro adultos de 1,80 metros, é provável que eles tenham uma opinião diversa, quando avaliada entre o momento em que entram e saiem do Lexus CT Hybrid. É que existe uma outra característica – a favor da tal tendência desportiva – e que nas nossas estradas, tende a criar outras sensibilidades! A taragem das suspensões, que tende mais para a firmeza, acaba por penalizar o conforto de rolamento.LEXUS_CT_200H_46_DPL_2014 No entanto, sublinhe-se que em bom piso, o comportamento deste Lexus deixou-nos bons registos, em especial para quem gosta da condução refinada e com tendências desportivas.

 

 

 

 

LEXUS_CT_200H_29_DPL_2014

Na condução o Lexus CT Hybrid concede três escolhas: EV, Eco ou Sport

Na condução e até aos 45 km/h é possível poupar o máximo de combustível, uma vez que o CT Hybrid adopta o modo EV, enquanto no modo Eco a gestão evita desperdícios de combustível, e até anula movimentos mais bruscos do acelerador ao mesmo tempo que faz a melhor gestão do ar condicionado. No modo Sport, a servo-assistência eléctrica da direcção é alterada para tornar mais reactivos os movimentos no volante. O controlo de tracção e o controlo de estabilidade também actuam com outros parâmetros, tornando a condução mais dinâmica. No entanto, existe um pormenor que tem a ver com a transmissão de variação contínua, e que obriga a alguma habituação. Por um lado ao ‘cantar’ do motor, e por outro, à resposta (reprises e acelerações) desta conjugação híbrida.

 

LEXUS_CT_200H_24_DPL_2014O primeiro projecto da Lexus entregue a uma mulher tem, em nossa opinião, boas notas para o nível de equipamento, materiais empregues e finalização. Gostámos menos da utilização do sistema de áudio, que entre outros utiliza o visor TFT de 4,2”. Achámos pouco intuitivo e até contrasta com os restantes comandos, bem posicionados e funcionais na utilização. Por fim mas não menos importante, uma ressalva para os preços destes Lexus disponíveis acima dos 30.000 € quer seja ao kg como ao metro.