Download PDF

Até 2020 a Hyundai quer colocar no mercado, cinco híbridos, quatro “plug-in” quatro eléctricos e um com célula de combustível, esta última tecnologia já apresentada em Hanover em 2016, num autocarro com base no H 350.

De acordo com os responsáveis da marca Sul-coreana, o IONIQ “Plug-in” conjuga o melhor de dois mundos, concedendo até 63 km de autonomia em modo eléctrico, emissões de CO² de 26 g/km, e consumos de combustível a rondar o 1,1 litros/100 km (ciclo combinado NEDC). Este modelo é o primeiro de uma série de 14 a colocar no mercado até 2020, tendo já conquistado as cinco estrelas no Euro NCAP, um prémio no “design” e aerodinamismo, além de mostrar soluções de futuro, quer na conectividade como na mobilidade. Este “plug-in” aparece como complemento às versões híbrida e eléctrica, sendo movido por um motor a gasolina de injecção directa de 77,2 kW (1.6 GDI de 105 cv) acoplado a um motor eléctrico de 45 kW alimentado por baterias de iões de lítio. Mediante a transmissão automatizada de seis relações, fica garantido um modo de condução mais reactivo, tanto a nível de acelerações e reprises, como de percepções ao volante. A travagem autónoma, o acelerador automático adaptativo e o indicador de saída da faixa de rodagem, entre outros, fazem parte do equipamento do IONIQ “plug-in”.