Download PDF

Com o culminar da época da Liga dos Campeões da UEFA, a Nissan, colocou o futebol frente ao seu derradeiro teste! Avaliar se a emoção do jogo é mais empolgante, do que ser um passageiro no icónico super-automóvel Nissan GT-R. Em parceria com os especialistas em ciência desportiva da Universidade de Loughborough, a Nissan proporcionou aos participantes na experiência um vestuário tecnológico para monitorizar e recolher um índice combinado de dados. Estes incluíam ritmo cardíaco, frequência respiratória e actividade electrodérmica, de modo a examinar o efeito psicológico do entusiasmo nos mesmos e, derradeiramente, determinar que actividade é mais excitante. As experiências com jogos ao vivo, decorreram durante jogos fulcrais da Liga dos Campeões da UEFA, e foram comparadas às reacções dos passageiros que percorreram a pista do famoso Circuito de Spa-Francorchamps-Bélgica, a bordo do Nissan GT-R, pilotado por condutores profissionais.

Futebol vs. GT-R

Resposta física

Futebol

“Track day” GT-R

Aumento médio do ritmo cardíaco

39%

37%

Média do ritmo cardíaco

91 BPM

100 BPM

Ritmo cardíaco máximo médio

124 BPM

136 BPM

Aumento da frequência respiratória

140%

144%

Frequência respiratória média

15 / minuto

15 / minuto

Frequência respiratória máxima média

35 / minuto

35 / minuto

Ao comparar os resultados das duas experiências, o Dr. Dale Esliger da Universidade de Loughborough comentou: Dantes conseguíamos avaliar de forma subjetiva quão emocionante era um jogo importante de futebol ou ser passageiro num empolgante superdesportivo, como por exemplo, o Nissan GT-R. A pesquisa efetuada como parte do Índice de Entusiasmo Nissan permitiu-nos utilizar inovadores sensores de dados para compreender as reações físicas dos participantes a estes excitantes momentos e assim fazer sugestões relativamente sobre quais os elementos que podem ser mais entusiasmantes.

Ao longo das duas experiências o ritmo cardíaco dos fãs de futebol e dos passageiros do Nissan GT-R foram amplamente comparáveis, com aumentos nos momentos de entusiasmo como seria de esperar; como por exemplo quando um golo era marcado ou ao fazer uma curva apertada.

As principais diferenças que vimos foram as respostas fisiológicas dos passageiros e a frequência respiratória dos fãs de futebol. Durante os jogos de futebol vimos um aumento da frequência respiratória seguido de uma redução desta, quando os fãs sustêm a respiração em momentos chave de antecipação, demonstrando assim que a emoção da sua jornada ao longo dos 90 minutos é mais uma montanha-russa de emoções. Enquanto a frequência respiratória dos passageiros do GT-R aumenta de forma consistente, sugerindo uma sensação de emoção mais contínua”, concluiu o Dr. Dale Esliger.

O entusiasmo está no centro de tudo o que fazemos, afirmou Jean-Pierre Diernaz, Vice-presidente de Marketing da Nissan Europa. “O nosso icónico GT-R e o patrocínio da emocionante Liga dos Campeões da UEFA são apenas dois exemplos da forma como nos esforçamos para levar a inovação e o entusiasmo a todos e através da nossa parceria com a Universidade de Loughborough fomos capazes de compreender o efeito físico da emoção sobre o nosso corpo. O nosso derradeiro objetivo é desenvolver um Índice de Emoção global, ao longo de um vasto intervalo de atividades emocionantes; as possibilidades do nosso próximo passo são ilimitadas.