Download PDF

Lexus IS 300 h Executive > 43.410 €

interior porta aberta

Mais arrojado na estética, o novo IS 300 h é o primeiro híbrido a ter as baterias sob a plataforma. Daí resultou um aumento da volumetria na bagageira

Face ao anterior modelo, o novo IS 300 h tem mais oito centímetros no comprimento. É o primeiro híbrido da marca japonesa a alojar as baterias sob a plataforma, característica que permite chegar aos 450 litros de volumetria na bagageira (+ 70 que o anterior modelo). Por fim mas não menos importante, a Lexus torna-se na mais ‘híbrida’ das marcas, apostando nesta tecnologia em todos os modelos da gama. Com acessos (habitáculo e bagageira) algo condicionados pelas cotas e forma angulosa dos pilares, este Lexus concede um bom nível de conforto e requinte, mesmo se considerarmos a altura e largura da consola central, que apenas penaliza a mobilidade. Os materiais empregues, o nível de finalização e o equipamento neste IS 300 h, cativam pela funcionalidade e agradável utilização, ainda que alguns comandos, como os do magnífico sistema de áudio, não primem pela forma intuitiva como se chega aos menus e sub-menus.

interior

Qualidade dos materiais e refinamento na finalização, coincidem com os padrões da Lexus

Aos comandos deste Lexus, existem várias possibilidades no tocante a andamentos. Todavia, todas estas escolhas se podem resumir a duas: um modo económico e o sport. No modo económico, a motorização concede acelerações suaves e reprises subtis. No modo desportivo, as reprises ganham vivacidade, enquanto as acelerações evidenciam genica. Ao volante, o requinte a que a marca já nos habituou, enquanto nas suspensões e em pisos mais degradados, ainda se continua a notar a menor filtragem no tocante às vibrações, já que em termos de insonorização, esta é muito boa. Num breve contacto ao volante, conseguimos obter um consumo médio 7,9 l/100 km/h à média de 54,0 km/h. Parte deste resultado é conseguido pela intervenção do motor eléctrico de 143 cv, associado ao 2.5 a gasolina de injecção directa e ciclo Atkinson, que debita 181 cv no regime máximo.

ft lateral mov

Nas escolhas dos andamentos, destacam-se os modos eco e sport

Contas feitas o IS 300 h não tem 324 cv, porquanto nunca chegamos a somar as potências de uma forma linear. A gestão destas duas potências, pode ser comprovada através dos visores digitais. Um no painel de instrumentos, e outro no painel informativo que também serve para visualizar/monitorizar, as manobras de marcha-atrás, o áudio, a navegação e o telefone. Através da visualização, é muito fácil perceber como actua o sistema, que permite a perfeita ‘cooperação’ na cinemática. É um facto que a transmissão de variação contínua, disponibiliza maior elasticidade na transmissão do movimento, daí a – aparente – dissonância entre a subida de rotação e o andamento, quando comparado com a transmissão convencional (manual). As aparências, eficazmente anuladas, resultam de dois factores: por um lado, o ciclo Atkinson garante maior eficiência termodinâmica face ao ciclo Otto, mediante diferente arquitectura do motor (cambota) e variação na abertura das válvulas de admissão; por outro lado, o motor eléctrico funciona como um auxiliar do motor e regenerador das baterias. lateralPor outras palavras, se dermos atenção ao som, parece que a motorização desliza mais que o automóvel. Se olharmos para o velocímetro e para o cronómetro, percebemos que o IS 300 h desliza melhor do que parece.

Gostámos –

Gostámos +

– Acessibilidades e dimensão da consola

– Gestão da energia e eficiência dinâmica

– Conforto de rolamento

– Habitabilidade e ergonomia

– Informações em torno da condução/utilização

– Consumos moderados