Download PDF

Posicionado entre os CX-3 e 5 o novo CX-30 está mais próximo do CX-3 como acontece com algumas dimensões e enquadramento classe 1 nas portagens

Novo Cx-30 da Mazda

No muito disputado mercado dos SUV, a Mazda coloca o novo CX-30 que, apesar de estar em posição intermédia face aos 3 e 5, está mais próximo do CX-3. A proximidade revela-se através das medidas exteriores, motorizações, e enquadramento em classe 1. Com um comprimento total abaixo dos quatro metros e meio (4.395 mm) o CX-30 concede boas cotas de acessibilidade e habitabilidade, com particular destaque para o espaço para as pernas. 

No tocante às motorizações, as conhecidas Diesel de 116 cv e 122 cv a gasolina, transmissões manuais/automáticas de seis relações, e tracção dianteira ou integral. Todavia, uma das mais-valias deste modelo está na panóplia de configurações Evolve e Excellence. Na bagageira, 340 litros moduláveis até aos 1.406 litros.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp*

iuc

21.607,28

4.530,85

6.203,64

830,00

47.300,00

258,78 €

*inclui sgpu+eco-valor = 4,20 €

Com boas cotas de habitabilidade e modularidade no habitáculo, o CX 30 concede uma boa volumetria na bagageira a 731 mm do solo

Conforme foi referido as cotas de acessibilidade são boas, mas melhores para os assentos traseiros do que para os dianteiros. A acentuada inclinação do pilar ‘A’ e a extensão deste, acabam por condicionar as acessibilidades aos lugares dianteiros. Uma vez no interior, deparamos com boas cotas de habitabilidade, tanto no espaço para as pernas, como nos ombros. A extensão da consola central que beneficia os espaços para arrumos, interfere na mobilidade entre os assentos dianteiros. A qualidade dos materiais empregues e o elevado nível de finalização, são um dos pontos em destaque neste CX-30, no qual as funções de comando projectadas no visor central de 8,8” são operadas a partir de um “joystick” circular colocado na consola central. Esta configuração traz algumas desvantagens como a configuração de um destino na navegação, mas também apresenta algumas vantagens como a conjugação de acertos ou configurações no áudio, entre outros menus e sub-menus relativos à utilização do automóvel e viagem.

Modelo

Dimensões (mm)

Bagageira/com Bancos rebatidos (litros)

comprimento

largura

altura

CX-3

4.275

1.795

1.535

350/1.360

CX-30

4.395

1.795

1.540

430/1.406

CX-5

4.550

1.840

1.780

494/1.365

 

Aos comandos

A primeira impressão com que ficámos tem a ver com a suavidade de funcionamento e algum equilíbrio dinâmico entre o automóvel e motorização. Ao volante, esta característica é evidente no comportamento em curva, do qual resulta um bom nível de conforto de rolamento. Sem a vivacidade ou brilhantismo de outras motorizações, o Diesel de 116 cv concede andamentos agradáveis, em parte conseguidos através do bom escalonamento e manuseamento da transmissão manual de seis relações. Outro dos agregados mecânicos com que ficámos agradados, tem a ver com os sistemas de travagem e suspensões, ambos eficazes e a funcionar com suavidade. Num breve contacto ao volante, obtivémos um consumo médio de 5,2 litros, apurados num percurso misto (AE+EN+Urbano).

 

Gostámos –Gostámos +
– Operacionalidade da navegação– Comportamento dinâmico

– Equipamentos de série e segurança activa

– Conforto de rolamento

– Finalização e materiais empregues

– Habitabilidade e modularidade

Características técnicas

Mazda CX-30 1.8 Skyactiv-D

motor

4 cil-16V, 1.759 cc, DOHC, Euro 6-Dtemp, DPF, SCR

potência kW(cv)/rpm

85,0 (116,0)/4.000

binário Nm (kgm)/rpm

270,0 (26,5)/1.600~2.600

transmissão

dianteira, manual de seis relações

jantes – pneus

18” – 215/55 R 18

Novo CX-30 da Mazda