Download PDF

Os japoneses são conhecidos por passarem ao automóvel, conceitos que se diluem entre o abstracto e assertividade quotidiana. Deste modo, torna-se fácil colocar numa só palavra, o conceito do bem estar e a harmonia entre os utilizadores e o planeta: Kaiteki. Perante esta convergência, à renovação do Outlander associam-se dois importantes argumentos para quem procura um SUV de sete lugares: a redução (50%) do ISV para as famílias numerosas; o novo enquadramento das classes nas portagens, que passa todos os Outlander a classe 1.

Com boa acessibilidade, o Outlander prima pela boa habitabilidade nos lugares dianteiros e espaço para a fila do meio. Os dois lugares posteriores, estão condicionados tanto no acesso como no espaço disponível, apontando para a utilização de recurso de adultos ou crianças. Ao utilizar os sete lugares, este SUV que ultrapassa os quatro metros e meio de comprimento total (4.695 mm) limita o espaço para bagagens em pouco mais de 120 litros. Ao rebater os assentos traseiros, consegue-se chegar quase ao 1.600 litros. Em termos de modelo, este Outlander partilha esta plataforma com a configuração de cinco lugares, versões Diesel e o híbrido PEHV a gasolina.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp

iuc

23.761,04

1.534,12

5.817,89

850,00

31.963,05

255,59

 

Com materiais de qualidade e boa finalização, esta versão Kaiteki é apresentada com os habituais equipamentos de série, mais orientados para o conforto, como acontece com os comandos eléctricos dos elevadores dos vidros e ar condicionado dual. No entanto, também se destacam alguns itens de segurança como os “airbag” frontais, laterais e de cortina, além de um completo sistema de travagem que inclui ABS+EBD assistência e prioridade à travagem. Ao controlo de estabilidade e tracção junta-se a prática assistênci no arranque em subida. Na conectividade, os habituais elementos como o Bluetooth e portas USB associam-se ao visor central que contém diversa informação e comandos áudio, entre outros.

 

Para quem se senta ao volante, o Outlander disponibiliza fácil leitura da instrumentação, múltiplos ajustes e “airbag” ao nível dos joelhos.

Aos comandos

Para quem se sentar ao volante, aos habituais ajustes junta-se o acerto em altura e a protecção dos joelhos através de “airbag” específico. Devido às formas exteriores, a visibilidade é boa para a frente e laterais, com a traseira a ser prejudicada pelo pilar ‘C’ e dimensões do óculo traseiro. No entanto, a possibilidade de visualizar as manobras de marcha-atrás no visor central, resolvem o problema. Com os comandos bem posicionados, explorar este 2.0 litros a gasolina é tarefa fácil, e muito prática devido à presença do CVT, cujo funcionamento se aproxima e muito, de uma transmissão automática. Por outras palavras, não existe o tradicional ‘deslizamento’ do sistema em função das acelerações. Sem apresentar grandes brilhantismos nas acelerações ou reprises, este CVT concede uma boa suavidade de funcionamento, acompanhada por um equilibrados sistemas de suspensões e travagem.

No tocante a consumos e num breve contacto ao volante, obtivémos 9,1 litros/100 km à média de 36,0 km/h obtidos em percursos urbanos e estradas nacionais. No entanto, demos conta de que é possível chegar a parciais à volta dos 7,1 litros/100 km e utilizando o ar condicionado.

Gostámos –Gostámos +
– visibilidade posterior

– habitabilidade e acesso à 3ª fila de assentos

– Conforto de rolamento

– Equilíbrio dinâmico e funcionamento do CVT

– Habitabilidade e modularidade

– Equipamentos de segurança activa

– Versão para famílias numerosas

Características técnicas

Mitsubishi Outlander 2.0 CVT Kaiteki
motor4 cil, 1998 cc, DOHC MIVEC
potência kW(cv)/rpm107 (145)/6.000
binário Nm (kgm)/rpm196 (20,0)/4200
transmissão2 WD CVT
jantes – pneus16” – 215/70 R 16 (opcional 225/55 R 18)