Download PDF

O DNA da Alfa Romeo concede diversas formas de utilizar o automóvel e a motorização de 190 cv, acoplada à transmissão de oito relações automatizadas mas com a possibilidade de duas escolhas de selecção manual

Uma questão de DNA

A estrada transalpina que liga a localidade tirolesa de Stelvio ao lado suíço, é uma das emblemáticas conquistas para os ciclistas, e um dos arrojados desafios para os motocilistas. Para a Alfa Romeo e enquanto não chega o Tonale (o SUV do segmento C), o Stelvio continua a ser a referência da marca, que o faz declinar em diversas escolhas. Dentre modelos/versões fomos conduzir o Q2 de 190 cv, obtidos através do 2.2 TDiesel acoplado à transmissão automatizada de oito relações. Com bons ângulos de acesso e boas cotas de habitabilidade, o Stelvio é apresentado com uma generosa bagageira de 525 litros, com esta a conceder boa acessibilidade e comando eléctrico para a tampa da bagageira que concede perto de um metro de profundidade a 73 cm do solo. Depois de rebatidos os assentos traseiros, ficamos com um fundo quase plano e perto de 1,80 metros de profundidade. Ainda no interior, encontramos alguns elementos do Giulia, ou seja um visor central de 8,8” para apoio à navegação, informação, áudio, definições entre outros, e um bloco informativo de 7” no painel de instrumentos.

 

No equipamento de série deste B-Tech destacamos o “pack Driver Assistance Plus” que inclui câmara de estacionamento traseira, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, retrovisores interno e externos electrocromáticos, regulação automática de máximos, assistente de ângulo morto e espelhos retrovisores rebatíveis electricamente. O acelerador automático com limitador, o limitador de velocidade em descida, o sistema anti-colisão com avisos sonoro e visual e o sistema de áudio com oito altiflantes, também fazem parte do equipamento de série.Com intervalos de manutenção a cada 20.000 km o Stelvio é apresentado com quatro anos de garantia ou 120.000 km.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp

iuc

11.843,45

1.150,00

63.298,99

258,78

* inclui 8.000 € de campanha e 6500 € de opcionais

Na transmissão existe a escolha entre a automatizada ou manual com comando no selector ou patilhas (+/-) atrás do volante

Como atrás referimos o Stelvio concede bons ângulos de acessibilidade e uma vez no interior, podemos usufruir de boas cotas de habitabilidade, diversos ajustes para quem conduz e uma boa posição de condução. No tocante a espaços para arrumos, estes são vários tanto habitáculo como sob o piso da bagageira, uma vez que não existe roda de reserva, alternativa aos 255/40 R20 que equipam este B-Tech de 190 cv. Aos comandos o destaque vai para o volante, a partir do qual se acede a várias funções, incluíndo a de ligar/desligar o motor. Atrás do volante e com dimensão excessiva, duas patilhas servem para seleccionar manualmente a transmissão automatizada de oito relações, também possível de seleccionar a partir do selector colocado na enorme consola central, cujos arrumos e comandos, envolvem parcialmente quem conduz e passageiro, condicionando a mobilidade no interior.

 

 

Além dos comandos no volante, existe na consola central um botão que faz as funções de ‘rato’ para comandar diversas funções

Aliás, num dos comandos da consola central (DNA) reside um dos ‘segredos’ do Stelvio. A possibilidade de alterar a configuração e gestão do veículo e motorização, permitindo utilizações mais económicas ou performantes. Num automóvel com 190 cv e oito relações de transmissão, bem escalonadas e suaves no engrenamento, a utilização ‘eco’ já é entusiasmante. E quando se passa ao modo mais dinâmico, cedo percebemos que, apesar do Stelvio ser um automóvel de dimensões e pesos consideráveis, não deixa de ser um Alfa. A forma como curva, o desempenho das suspensões, as acelerações e reprises, cedo fazem esquecer um peso a rondar os 1.700 kg e uma carroçaria classe 1 que ultrapassa os quatro metros e meio (4.690 mm) e se aproxima dos dois metros de largura (1.900 mm) sem contar com os retrovisores de grande dimensão e que, em alguns ângulos, exigem habituação para evitar os ângulos-mortos quando em movimento. Também em movimento, este Q2 de tracção traseira exige um pouco mais do que seria de esperar em termos de diâmetro de viragem. Outra das características deste Q2, além do conforto de rolamento e boa ergonomia, o Stelvio concede ainda uma outra característica que se pode considerar herança de marca: a travagem. Além de suave e progressiva é muito eficaz.

Num breve contacto ao volante e em trajecto misto (AE+EN+Urbano) obtivémos à média de 41,0 km/h um consumo médio de 7,1 litros/100 km.

Gostámos –Gostámos +
– diâmetro de viragem– Equipamento de série e segurança activa

– Comportamento dinâmico e Alfa DNA

– Conforto de rolamento e ergonomia

– Modularidade e habitabilidade

– Materiais empregues e finalização

Características técnicas

Alfa Romeo Stelvio B-tech AT8 Q2
motor4 cil-16V, 2.143 cc, DOHC, inj elec
potência kW(cv)/rpm140,0 (190,0)/3.750
binário Nm (kgm)/rpm450,0 (44,6)/1.750
transmissãotraseira, automatizada de oito relações
jantes – pneus20 – 255/40 R 20

Uma questão de DNA