Download PDF

Entre 16 versões o Kadjar concede ampla escolha de motores, transmissões e equipamentos

Renault Kadjar em black edition

Numa altura em que os “suv” continuam a ter crescente procura, a marca francesa preparou um “cocktail” cujo sucesso se advinha fácil. Volvidos quatro anos do primeiro modelo e com perto de meio milhão de unidades a circular, a Renault aproveitou a experiência da aliada Nissan e as vantagens da parceria com a Daimler para elaborar uma renovação, com o objectivo de reposicionar o modelo. Por exemplo, com o novo motor a gasolina 1.3 Tce já é possível obter a transmissão automatizada EDC de sete relações. Outro dos factores que contribui para o reposicionamento do Kadjar, tem a ver com o interior dos quase quatro metros e meio de automóvel (4.489 mm). Face ao anterior modelo, o habitáculo está mais requintado, em especial na versão “black edition” equipada com jantes de 19” que montam pneus /45. Todavia, nesta característica, encontramos uma das dissonâncias cognitivas deste Kadjar. Por outras palavras, temos um habitáculo espaçoso, confortável e bem equipado, mas com as rodas que ficariam melhor em qualquer RS da marca. Por outro lado, a volumetria da bagageira e respectiva modularidade (472/527 a 1.478 litros) perfilam mais as necessidades familiares do que as tendências desportivas. E por fim mas não menos importante, o peso rebocável com travões (1.500 kg) é superior ao valor atribuído ao Kadjar, quando pronto para dar à chave e rolar estrada fora.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp*

iuc

26.352,36

1.646,65

6.439,77

—-

34.438,78

136,72

* sem despesas administrativas

 

Bem equipado e com ampla lista de opcionais, o Kadjar concede bons padrões de segurança activa

Com boas acessibilidades ao habitáculo, tanto nos lugares dianteiros como traseiros, o Kadjar deixou-nos a impressão de o acesso à bagageira ser alto (761 mm), característica que não facilita o manuseamento das bagagens, a colocar numa bagageira muito funcional e modular. Com bom apoio e comandos bem posicionados, este Renault concede uma boa posição de condução e satisfatórios ângulos de visibilidade, auxiliada mediante sensores (frente e trás) e visualização das manobras de marcha-atrás, mediante visor de 7” que também serve de suporte ao R-Link 2.

Aos comandos demos conta do que atrás referimos, quando cruzamos três características essenciais para o comportamento dinâmico: a altura do automóvel (1.613 mm); a taragem molas+amortecedores; e as rodas. É um facto que este Kadjar concede um bom nível de conforto, mas não temos dúvida de que comoutras rodas e suspensões, o nível de conforto de rolamento seria mais elevado, em especial com os assentos apresentados nesta “black edition”.

 

Em termos de performances, gostámos do desempenho do novo motor a gasolina (160 cv) e apreciámos a suavidade da transmissão automatizada de sete relações, mesmo com esta a exigir alguma habituação nos arranques e acelerações. Num automóvel com perto dos 1.500 kg e com o binário máximo às 1.800 rpm, as inércias são evidentes. No entanto, em termos de acelerações e reprises, tanto o motor como a transmissão, concedem agradáveis utilizações perante este 1.3 Tce. Num breve contacto ao volante e num percurso misto (AE+EN+Urbano) à média de 38,5 km/h obtivémos 6,8 litros/100 km de consumo de combustível.

Gostámos –Gostámos +
– adopção de jantes 19” e pneus /45– Equipamento de série e segurança activa

– Comportamento dinâmico

– Habitabilidade e ergonomia

– Espaço e modularidade

– Conforto de rolamento

Características técnicas

Renault Kadjar Black Edition TCE 160 EDC

motor

4 cil-16V, 1.332 cc, Turbo, Inj Dir, FP

potência kW(cv)/rpm

117,0 (160,0)/5.500

binário Nm (kgm)/rpm

270,0 (26,5)/1.800

transmissão

dianteira, EDC sete relações

jantes – pneus

19” – 225/45 R 19

Renault Kadjar em black edition