Download PDF

Encomendas em Agosto e entregas em finais deste ano

Com entregas previstas para o final do ano, os novos C4 & eC4 representam uma nova abordagem ao modelo familiar. Todavia, estamos mais uma vez numa encruzilhada no tocante à definição do modelo, de imeditao disponível nas versões gasolina, gasóleo e eléctrico. Mas voltando ao ‘enquadramento’ temos uma frente moderna e mais arrojada nas linhas, enquanto a silhueta mostra um automóvel mais elaborado na estética, e um pilar ‘C’ mais inclinado. Assim sendo é mais fácil recorrer à simplicidade anglo-saxónica e designar os novos C4 como “crossover”.

A terceira geração e face ao anterior modelo, está mais comprida (+30 mm) sem chegar aos quatro metros e meio (4.360 mm9. Ficou mais larga (1.800 mm) e passa o metro e meio em altura (1.520 mm). Na bagageira a volumetria chega aos 380 litros.

A partilha de agregados mecânicos e soluções tecnicas e tecnológicas permite antever uma boa aceitação dos novos C4

Sem termos conduzido ou visto o C4 além das ilustrações aqui apresentadas, e tendo em conta os modelo/versões do Grupo que já conhecemos, quase nos atrevemos a fazer um ensaio virtual. Já conhecemos a plataforma, os motores 1.2 turbo a gasolina (100, 130 e 155 cv) os 1.5 TDiesel (110 e 130 cv) o eléctrico de 100 kW (136 cv) as transmissões manuais e automatizadas, os dispositivos de segurança e sistemas de conectividade. Sabemos que nas suspensões, também será possível encontrar os elementos de conforto (batentes hidráulicos) enquanto no interior, as cotas de habitabilidade serão melhores quando comparadas com o anterior modelo, que utiliza semelhantes assentos, quando pensamos no C5 aircross. Com as encomendas a abrir em Agosto, não aguentamos até lá e recorrendo ao historial da marca, reconsiderámos, e em vez do ensaio virtual, achámos melhor recorrer a dados factuais, ou seja ao historial. Nos modelos familiares, a nossa memória não vai além do Ami 8 de assentos fofos e suspensão macia, quase bamboleante sem chegar às amplitudes dos 2 cv.  Para a marca que conseguiu rolar um automóvel com três rodas, O GS marcou referências no confortgo de rolamento. Neste automóvel de fofos assentos, as rodas trabalhavam muito, mas mesmo muito, enquanto a carroçaria garantia notável estabilidade. Depois vieram os anos dos ‘convencionais’ perante os quais a marca francesa resolveu inovar dando um “aircross” de novidade.

Novos Citroën C4 & eC4