Download PDF

Dos B aos Vignale

Clicar para começar e parar a reprodução das imagensPara as marcas generalistas a importância do segmento B é nuclear em termos de vendas, ou por outras palavras, nos cinco portas familiares e a rondar os quatro metros de comprimento, com motores até 1.600, a Ford prepara uma verdadeira complementaridade na escolha. O topo de gama Mondeo, será o primeiro a receber o conceito Vignale, extensivo a outros modelos da gama.


Os quadrantes do segmento B

Há umas semanas atrás e na secção Entre Vistas, noticiámos que a cada 100 segundos se vende um Fiesta no mercado europeu. Assim sendo, não restam dúvidas de que este modelo se tornou no catalisador de vendas da marca para o segmento B. No entanto a Ford aposta noutros três modelos, para reforçar a escolha entre os modelos de cinco portas, que rondam os quatro metros de comprimentos e com motores até 1.6 a gasolina ou gasóleo.
Uma destas apostas terá por base o novo Ka. Ao ganhar mais duas portas e depois de perder aquela silhueta arredondada dos volumes e pilares A e C, o nvo Ka (por enquanto Ka Concept) terá maior volumetria e proporções mais equilibradas. E o que perde na irreverência das formas, ganha em volumetria e habitabilidade. Ao novo modelo, corresponderão diferentes configurações de equipamentos e motores, para dessa forma o diferenciar dos preços cobrados nos Fiesta e Ecosport.
No topo do sub-segmento o B-Max continuará a ser o mais elaborado, tanto na escolha de motores e equipamentos, como na engenhosa solução de abertura das portas traseiras deslizantes. Sublinhe-se que esta solução é excelente para que utiliza o B-Max em ambientes urbanos, ainda que a inércia das portas, possa colocar algumas dificuldades na movimentação, em especial quando o automóvel está para dos em subidas ou descidas.
Outra das novidades europeias é o Ecosport, que chega ao velho continente, depois do sucesso comercial que tem registado nos mercados latino-americanos. Reconfigurado para os gostos europeus no tocante a motores e equipamentos, este modelo vem ocupar o espaço dos pequenos SUV. Por outras palavras, vem por exemplo para o lugar do anterior modelo do Kuga, que entretanto cresceu nas dimensões e passou ao segmento superior. Com o Ecosport, a Ford passa a disponibilizar três escolhas de SUV: o Ecosport, o Kuga e o Edge

O conceito Vignale

A aproximação das marcas generalistas às exclusivistas tem sido recorrente. E se por uma lado esta acontece nas frases publicitárias e nos discursos de marketing, por outro lado também se constata na evolução qualitativa nos modelos. Em síntese, há uma palavra que encerra tudo isto: premium.
Mediante a definição e nestes últimos anos, este conceito esbateu-se por várias razões!
É verdade, que no mercado continuam a existir marcas cuja diferenciação está na qualidade dos materias empregues, finalização e qualidades dinâmicas.
Mas nestas, a evolução positiva registada nas quotas de mercado, não encontrou eco nas operações de serviço, quer se tratem de manutenção preventiva (revisões) e muito menos na manutenção correctiva (reparações).
Por outro lado e no caso do Ford Mondeo, basta avaliar o modelo nesta última década, para aquilatar das evoluções dinâmicas, como por exemplo o refinamento da condução.
Nos interiores e ao nível dos materiais, também se verificou uma evolução positiva, embora as mais relevantes sejam as dos sistemas, como por exemplo o Ford Sync, que permite gerir as músicas que pretende ouvir, fazer e receber chamadas e ver ou ouvir mensagens e aceder à assistência de emergência.Registe-se que este sistema, está disponível nos Focus, C-Max, B-Max, Fiesta e Kuga.
O conceito Vignale é antes do mais um passo em frente na qualidade do serviço e atendimento preferencial, para os possuidores dos modelos aderentes a este conceito, que começará por ser aplicado ao Mondeo e se estenderá a outros modelos da gama.