Download PDF

A chegada do 1.7 DCi Euro6 D-temp eleva a fasquia das performances nas acelerações e reprises nesta Mégane GT Line

A Mégane da linha azul

Num segmento de mercado em que as carrinhas pontuam pela versatilidade, a marca francesa resolveu elevar a fasquia com o 1.7 Dci de 150 cavalos, para o qual propõe a transmissão automatizada de seis relações, em alternativa à manual de seis. No capítulo dos acessos, demos conta que neste automóvel cujo comprimento ultrapassa os quatro metros e meio (4.626 mm), o acesso aos lugares traseiros é bem melhor do que aos dianteiros, nos quais os angulosos pilares ‘A’ beneficiam a estética e até a segurança activa, mas penalizam os ângulos de acesso, neste caso enfatizados pela forma envolvente dos assentos dianteiros. Uma vez no interior, concedem um excelente apoio e no caso do revestimentos serem em tecido, o toque não é dos mais agradáveis. Em alternativa, são bem empregues os 1.700 € dos estofos aquecidos e revestidos a couro+alcantara. Em termos de volumetria da bagageira, são 580 litros, chegando aos 1.504 mediante rebatimento dos assentos traseiros, que permitem um comprimento máximo de 1.754 mm e 950 de largura, quando se trata de bagagens/volumes.

preço-base

isv

iva

despesas

pvp

iuc

26.221,55

5.680,89

7.337,56

39.240,00

146,79

 

No habitáculo, a qualidade dos materiais empregues e finalização, evidenciam um bom nível. Todavia, o nosso destaque recai sobre o equipamento de série, em particular para a segurança activa e sistemas de apoio à condução. O acelerador automático adaptativo que funciona entre os 50 a 150 km/h e a travagem autónoma de emergência, activa entre os 30 e 150 km/h são alguns dos sistemas em destaque, além do aviso de saída da faixa de rodagem, existência de veículo no ângulo morto dos retrovisores laterais ou visualização dos sinais de trânsito no painel de instrumentos. No tocante às configurações possíveis e com base no RLink2, tanto no veículo como em viagem, um visor central de 7” permite uma ampla utilização do automóvel e avaliar a condução, de acordo com pontuações atribuídas à aceleração, travagem, antecipação, entre outros.

 

A transmissão automatizada enfatiza a suavidade de funcionamento e desempenho dinâmico nesta GT Line

Aos comandos do 1.7 Dci de 150 cv, cedo demos conta da agradável disponibilidade concedida pelo binário deste motor, e o mesmo acontece em relação à elasticidade das acelerações. Bem escalonada a transmissão de seis relações automatizadas, permite tirar partido das boas acelerações e reprises, conseguidas através do desempenho do motor, cuja vivacidade se detecta logo acima das 1.200 rpm. No tocante a consumos e num percurso misto (AE+EN+Urbano) à média de 52,9 km/h obtivémos 6,0 litros/100 km. No que diz respeito ao consumo de “Adblue” utilizado no catalisador que efectua o pós-tratamento dos gases de escape, o indicador no painel deu sempre como correcto o nível. Outros contactos ao volante com este sistema de pós-tratamento, quantificam a utilização deste aditivo, entre os 02 a 05% face ao consumo de combustível. Com bons ângulos de visibilidade para a frente e laterais, as formas do pilar ‘C’ do Mégane e o ângulo do óculo traseiro, condicionam a visibilidade. No entanto, a existência de sensores de estacionamento e visualização das manobras de marcha-atrás, projectadas no visor central de 7” facilitam as manobras.

Gostámos –Gostámos +
– Visibilidade posterior

– Colocação do acelerador automático/limitador

– Conforto de rolamento

– Equipamento de série e segurança activa

– Comportamento dinâmico

– Habitabilidade traseira

– Economia de combustível/autonomia

Características técnicas

Renault Megane ST 150 DCi
motor4 cil-16V, 1.749 cc, conduta comum, turbo, SCR+AdBlue
potência kW(cv)/rpm110,0 (150,0)/3.500
binário Nm (kgm)/rpm340 (33,4)/1.750
transmissãodianteira, EDC automatizada de seis relações
jantes – pneus17” – 205/50 R 17

A Mégane da linha azul