Download PDF

Não foi o dia de constituição da empresa, nem o dia em que surgiu a ideia, nem tão pouco o dia em que construíram um qualquer motor, foi sim o momento em que o primeiro Volvo saiu do portão da fábrica de Lundby-Gotemburgo. O primeiro Volvo a rolar na estrada. Pelas 10:00 o chefe de vendas Hilmer Johansson, conduziu para a rua o Volvo ÖV4 que ficaria conhecido como “Jakob”, um descapotável azul-escuro com motor de 4 cilindros. A carroçaria era construída sobre um quadro de madeira de faia e freixo, coberta com folha metálica e estava disponível nesta única combinação de cores, azul escuro com guarda-lamas pretos. Volvidos 85 anos, nesse mesmo dia Stefan Jacoby, então presidente e CEO da Volvo Car Corporation, e Olof Persson, Presidente e CEO do Grupo Volvo reproduziram esse mesmo momento ao volante do mesmo Volvo ÖV4, o primeiro de todos, agora uma relíquia do museu da Volvo. Entre 1927 e 1929 foram produzidas 275 unidades que incluiram uma carroçarias “pick-up” e “tourer”. O motor é um quatro cilindros em linha com 1.944 cc (75×110 mm) e válvulas laterais que debita 28 cv às 2.000 rpm.

O sonho de dois homens

Os automóveis são conduzidos por pessoas. Por isso, tudo o que fizermos na Volvo deve contribuir, antes de mais, para a sua segurança.Com esta frase, Assar Gabrielsson & Gustav Larson, fundadores da Volvo, deram o mote para a criação de um conceito único na indústria. Desde longa data associada à inovação no capítulo de segurança, a marca sueca surgiu como resposta a um vazio de mercado. A inexistência de um automóvel suficientemente robusto e preparado para o clima inóspito e os rigorosos invernos da Escandinávia. A elevada sinistralidade nas estradas suecas nos anos 20 preocupava Assar e Gustav, para quem o automóvel deveria ser sinónimo de sofrimento ou morte mas antes de alegria, progresso e liberdade. Ao longo destes 90 anos, o posicionamento e os valores da marca nunca mudaram. O foco nas pessoas, na segurança, na vida, no respeito. A forma mais fácil de perceber todas as inovações introduzidas pela marca sueca é pensar em tudo o que cada automóvel detém em termos de segurança, do cinto de três pontos, à terceira luz de travagem, passando pelos “airbags”, detecção de peões, automóveis, ciclistas ou animais com travagem automática, e dezenas de outros itens de segurança, tudo inovação Volvo, inovação sem patente, porque para a Volvo a segurança e a vida não têm preço e o objectivo é que todos possam beneficiar, independentemente da marca que conduzam, por isso se diz que há um pouco da Volvo em cada automóvel.

 

Apresentado em 2008 o XC representa 30% das vendas e já ultrapassou o milhão de unidades produzidas

Visão 2020
O pináculo do sonho dos fundadores da Volvo atingir-se-á em 2020. A marca sueca assegura que de esse ano em diante ninguém perderá a vida ou ficará gravemente ferido a bordo de um novo Volvo numa das mais ousadas e nobres promessas da indústria automóvel. Parte desse compromisso passa pela representação entre nós, também esta com a respectiva história, no dia em que se inicia a produção do novo XC 60. A importação de automóveis Volvo para Portugal iniciou-se em 1933 graças a Luiz Oscar Jervell que constituiu a Auto Sueco, Lda. Esta seria a empresa-mãe do Grupo Auto Sueco que durante décadas foi o representante exclusivo da marca Volvo no nosso País. Em 2008, nasceu a Volvo Car Portugal, directamente ligada à Volvo Car Group. Em 2016, as 4.363 novas matrículas constituíram um novo recorde nacional para a Volvo em Portugal representando um crescimento de 22,1% em relação a 2015 e a uma quota de mercado de 2,10%.