Download PDF

BVK57DCYFAVXME3VUZMMDepois de ter dominado nos treinos e com uma partida fulgurante, Jorge Lorenzo-Yamaha abriu com chave de ouro o campeonato deste ano. Logo nas primeiras voltas, o piloto espanhol cedeu a liderança a Andrea Iannone  e Andrea Divizioso. No entanto, Iannone acabou por cair e Dovizioso, foi ultrapassado a 14 voltas do final. A partir daí o piloto de Maiorca marcou a cadência da prova, estabeleceu a volta mais rápida (01:54:927) e venceu com confortável vantagem, amealhando 25 pontos. O companheiro de equipa, também conhecido como “il Dotore” ficou em quarto lugar, que lhe garantem 13 pontos. A próxima prova é no dia 03 de Abril nas Termas de Rio Hondo – Argentina.

 

Com a Brembo no Qatar

Brembo Qatar

No Moto GP, a maior desaceleração – 244 km/h – regista-se na primeira curva no circuito em Doha

De igual forma como acontece noutros seis circuitos, o circuito de Doha tem oito zonas de travagem, ou seja 18% do tempo de prova é utilizado a travar, obrigando os pilotos a apertar a manete 176 vezes.  Das oito zonas de travagem, uma é classificada como exigente, as outras seis são consideradas de dificuldade média, enquanto a restante é moderada. A travagem no final da recta da meta é a mais exigente. O gancho à direita obriga os pilotos a passarem dos 350 a 106 km/h, depois de uma força de oito kg na manete. Esta diferença (244 km/h em 265 metros) é recorde no Moto GP. Nas restantes seis, os pilotos travam entre três a quatro segundos, percorrendo à volta dos 146 metros a travar, e por fim a curva 10 é a que regista menor diminuição de velocidade com 68 km/h.