Download PDF

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o elevado número de mortes e feridos resultantes de acidentes rodoviários em todo o mundo. A Prevenção Rodoviária Portuguesa não poderia deixar de associar a este Movimento. A intenção é colocar na agenda o tema segurança rodoviária e mobilizar o maior número de pessoas, envolvendo os mais diversos segmentos. Acompanhando o sucesso de outros movimentos, o Maio Amarelo estimula a promoção de actividades voltadas para a sensibilização, ao amplo debate das responsabilidades, e avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão no que à segurança rodoviária diz respeito.

A marca que simboliza o movimento, o laço na cor amarela, segue a mesma proposta de sensibilização já idealizada e bem-sucedida noutras vertentes como a luta contra o cancro ou contra a sida. A escolha do laço amarelo tem a intenção de alertar a sociedade para a necessidade de tratar os acidentes rodoviários como um problema de saúde pública e, consequentemente, incentivar cada cidadão a adoptar comportamentos mais seguros e responsáveis, com vista à preservação da sua vida e dos outros utentes rodoviários. De ressaltar que o Maio Amarelo é um movimento, uma acção, não uma campanha, ou seja, cada cidadão, entidade ou empresa pode utilizar o laço do Maio Amarelo nas suas acções de comunicação e de sensibilização relativas aos temas de prevenção rodoviária, desenvolvidos ao longo do ano. A campanha de Maio deste ano tem como lema: – A minha escolha faz a diferença.

Trata-se de um alerta para as consequências das escolhas que são feitas. Enquanto conduz escolhe: atender ou não atender chamadas; respeitar ou não respeitar a sinalização; enviar ou não enviar mensagens; beber ou não beber; usar ou não usar o cinto de segurança. Não é um acidente… é uma escolha.