Download PDF

A renovação do 308 trouxe melhorias consideráveis ao automóvel francês. No habitáculo, o destaque recai nos sistemas multimédia/conectividade de intuitiva operacionalidade, em especial através do visor de 9,7” que permite incluir uma série de comandos. Daqui resulta um painel mais discreto, que ajuda a evidenciar a qualidade dos materiais empregues e respectiva finalização. Todavia, é sob o capot que se encontram as novidades mais ‘vibrantes’. O novo 1.5 Hdi de 130 cv é uma das novas ‘armas’ da marca do leão, à qual se junta o 2.0 Hdi de 180 cv. Nas motorizações, a novidade mais esperada é a transmissão automática de oito relações. De início aplicada no 2.0 GT Line (1.997 cc) está agora disponível no novo 1.5 Hdi (1.499 cc), no qual concede uma eficácia bem diferente da transmissão manual de seis relações.

Na silhueta, a carrinha 308 continua a passar ligeiramente dos quatro metros e meio (4.585 mm) enquanto a modularidade da bagageira, permite passar dos 610 aos 1.660 litros mediante rebatimento dos assentos traseiros.

 

Um conta-rotações a funcionar ao contrário do que é habitual e os comandos do acelerador automático atrás do volante, exigem habituação

Aos comandos

No tocante ao acesso ao interior, este é mais fácil aos lugares traseiros do que aos dianteiros. A inclinação e curvatura do pilar ‘A’ acabam por penalizar o ângulo de acesso ao interior. O mesmo acontece com o pilar ‘C’ que reduz de forma significativa os ângulos de visibilidade através do óculo traseiro. Neste ponto, a visualização das manobras de marcha-atrás através do visor no painel e os sensores de aproximação, acabam por se tornar preciosos auxiliares nas manobras.

Ao volante é fácil encontrar uma boa posição de condução. No entanto, em termos de ergonomia, alguns comandos e instrumentação exigem habituação. É o que acontece com o comando do acelerador automático, colocado atrás do volante. No painel de instrumentos, o posicionamento do volante (regulável em inclinação e altura) pode tapar o referido painel e obstruir a leitura, em especial do velocímetro digital.

 

 

Os equipamentos e sistemas de apoio à condução, evidenciam-se no renovado 308

Com o motor em movimento, cedo percebemos que o novo 1.5 Hdi se encontra bem filtrado, tanto em termos de ruído como de vibração. Em trânsito urbano, demos conta de que as primeira e segunda relações, acompanham o ‘alongamento’ das restantes quatro. Por outras palavras, a aceleração ou reprise deste motor, não será dos melhores atributos, em especial abaixo das 2.000 rpm. Acima deste regime, o motor ganha alguma elasticidade e concede andamentos muito agradáveis, e o mesmo acontece com os consumos de combustível. Num breve contacto ao volante e em circulação urbana e sub-urbana, registámos 6,3 l/100 à média de 33 km/h. No entanto, alguns consumos parciais em estrada, aproximaram-se dos 5,0 litros/100 km. Em termos dinâmicos, a via dianteira poderia ser um pouco mais refinada no desempenho e dessa forma, estaria ao nível da sensibilidade concedida pelo volante ‘quase’ circular. Gostámos do conforto de rolamento para o qual contribuem os assentos da versão Allure.

 

Gostámos – Gostámos +
– Ergonomia de alguns comandos

– Algumas reacções da via dianteira

– Conforto de rolamento e ambiente a bordo

– Comportamento dinâmico

– Equipamentos de segurança activa/passiva

– Materiais empregues e finalização

– Bagageira e modularidade interior

Características técnicas

Peugeot 308 1.5 Allure M6
motor 4 cil, 1.499 cc common rail + SCR + Ad Blue + Filtro Partículas
potência kW(cv)/rpm 96 (130)/3.750
binário Nm (kgm)/rpm 300 ( )/1.750
transmissão Dianteira, manual de seis relações
jantes – pneus 16” – 205/55 R 16