Download PDF

A carroçaria de cinco portas do i20 permite melhorar o acesso e volumetria ao compartimento de carga

Para o segmento dos ligeiros de mercadorias/passageiros, a Hyundai propõe três novos modelos. Uns concedem lugar para 13 passageiros, noutros há espaço para cinco paletes. O de dois lugares tem cinco portas, e regressa a sigla H1. De comum a todos estes, o enquadramento 3,5 no tocante aos valores de peso bruto.

À imagem do que acontece com os automóveis de passageiros, a Hyundai prepara uma séria ofensiva europeia no segmento dos ‘comerciais’. Para já aborda o mercado com três propostas no segmento dos ligeiros de mercadorias/passageiros, mas vai mostrando a disponibilidade de soluções, nos pesados de gama média e de longo curso. É um facto que nos três modelos apresentados, não demos conta de transmissões automáticas, de sistemas de controlo de estabilidade sensíveis aos ventos laterais, nem avançados dispositivos de conectividade ou telemática. No entanto e consoante versões, no tocante aos elementos de segurança e funcionalidade, encontramos os “airbag”, ABS, ESP, Bluetooth, ordenador de dados (veículo e viagem), ar condicionado, visualização das manobras de matcha-atrás, entre outros. Nas capacidades de carga, o i20 concede 515 kg, enquanto o H1 de três ou seis lugares, permite valores de carga útil entre os 1.010 e 988 kg. O mais versátil é o H 350 que declina nos comprimentos e volumetrias, concedendo valores de carga útil entre os 1.265 1.575 kg para volumes de carga entre os 10,5 a 12,9 m³.

 

 

Outro dos argumentos favoráveis a esta aposta nos ‘comerciais’, tem a ver com a disponibilidade imediata de produtos, por “stock”. A existência de uma viatura de substituição com base num furgão de 7 m³ ou automóvel a gasolina, garante que o negócio não irá parar por causa da manutenção programada ou imprevisto. E por fim mas não menos importante, o financiamento conta com dois parceiros e uma solução de “renting”, com base no qual apresentamos três simulações de valores.

Hyundai renting em €

Modelo

Valor de renda

Valor de renda + iva

I20 van Access+Bluetooth e comandos no volante

287,14

348,44

H1 van 3 lugares 4,4 m³

388,23

472,78

H 350 van 150 SWB 10,5 m³

428,73

522,59

Sem entrada inicial, 80.000 km/48 meses + 4 pneus + seguro de danos próprios com 4% franquia

Presença transversal

As soluções mais simples costumam ser as mais eficazes. Ao colocar no mercado um derivado de passageiros e dois furgões, a Hyundai consegue presença nos principais segmentos de mercado. Com o i20 e Diesel 1.1 de 75 cv consegue estar no segmento no qual a mobilidade, leva vantagem sobre o peso ou volume a transportar. Com o H1 nas versões de três ou seis lugares, a marca regressa ao competitivo segmento dos furgões de tonelada de carga útil, no qual o volume costuma ser mais importante que o peso. Através do novo H 350, a Hyundai consegue entrar no segmento onde o peso e volume a transportar, fazem parte do núcleo do negócio.

No que diz respeito à manobrabilidade e por ter tracção dianteira, o i20 concede um diâmetro de viragem de 10,2 metros, num automóvel com pouco mais de quatro metros (4.035 mm). E quanto à carroçaria, foi escolhida a de cinco portas por duas razões: melhor acessibilidade ao compartimento de carga e melhor gestão da volumetria a rondar os 1.400 litros.

Nos furgões e apesar de serem mais longos face ao automóvel, a existência da tracção traseira, permite bons valores de manobrabilidade, sendo as cavas das rodas pouco intrusivas no compartimento de carga, ao qual se acede por porta única ou duas meias-portas. No tocante a motorizações, os furgões de mercadorias/passageiros, partilham o Diesel 2.5 Euro 6. No H1 debita 136 cv, enquanto nas versões 350 debita 150 ou 170 cv consoante versão.