Download PDF

A Primavera foi a altura escolhida pelos alemães para mostrarem o novo AMG GT Roadster. A altura coincide com a celebração dos 60 anos da apresentação do 300 SL Roadster, modelo que declinou do”gull-wing” notabilizado pela invulgar abertura de portas no sentido ascendente, daí a designação asas de gaivota. No entanto, a injecção directa de gasolina, os grupos ópticos dianteiros num bloco que englobava piscas, médios, máximos e faróis de nevoeiro, também contribuiram para a exclusividade deste modelo, essencialmente destinado ao mercado americano, onde ficaram 800 dos 1.400 SL produzidos entre 1954 e 1956. Nas estradas europeias e depois de fotografado no Stelvio, o Roadster chegou a Genéve em Março de 1957. Apesar da exclusividade do modelo, em 1963 tinham sido construídas 1.858 unidades do Roadster, também disponível com capota de 1958 em diante.

Entre 1957 e 1963 foram construídos 1.858 300 SL Roadster (W 198 II)

A 02 de Junho de 1954 a administração deu luz verde para a construção de três modelos, dois destinados a testes e um para exposição. No entanto, a ordem para iniciar a construção só chegou em 26 de Julho de 1955, depois de algumas transformações na estrutura para esta receber portas convencionais. Na traseira, as suspensões também foram alteradas e o mesmo aconteceu com a bagageira. Estas alterações trouxeram um aumento de peso de 120 kg, em linha com a vocação “touring” do modelo, em vez da “sport” indexada ao SL, cujo comportamento em estrada era mais reactivo e com tendências para a sobreviragem.  Em 1961 chegaram os discos de travão às quatro rodas, e a cura de emagrecimento permitiu um ganho de 44 kg, quando substituiram 3.0/215 cv por um bloco em alumínio.

 

Numa versão aligeirada do 300 SLS Paul O’ Shea venceu a categoria D do ASCC.

Em 1958 um SLRoadster foi cronometrado a 242,5 km/h

Em 1957 dois 300 SLS disputaram o North American Sports Car Championship. Mais leves (- 337 kg) tinham um motor mais potente (235 cv) face ao modelo de série. Aos comandos estava Paul O’Shea que em 1955 e 1956 venceu o campeonato aos comandos dos “gull-wing”.

Em Novembro de 1958 e com uma relação final mais longa, um SL Roadster foi cronometrado a 242.5 km/h num troço de auto-estrada entre Munich e Ingolstadt. A marca foi registada pela ADAC.

A 08 de fevereiro de 1963 saiu de Sindelfingen-Alemanha o último SL Roadster