Download PDF

Neste sub-segmento, a 5ª geração do Combo Life é o primeiro modelo proveniente do Grupo PSA

Para conhecer toda a gama de modelos e versões da 5ª geração do Combo, vai ser preciso esperar pelos primeiros meses de 2019. No entanto, para conhecer o Combo Life, desvendamos aqui algumas das características e a comercialização estará para breve. No primeiro veículo deste sub-segmento a ser desenvolvido no seio do Grupo PSA, a marca centenária manteve a designação Combo, apesar de estarmos em presença de um novo automóvel. A base é a conhecida plataforma EMP2, reformulada para permitir o aumento dos valores de carga útil ou alojar até sete passageiros. Face ao anterior modelo, existe uma ruptura de conceito, redefinição nas dimensões, e uma evolução positiva no tocante aos equipamentos de série, sistemas de apoio à condução e dispositivos orientados para a segurança activa. Por outras palavras, recuperamos para este tipo de veículo, a linguagem tecnológica dos automóveis de passageiros.

 

 

O acessos, a habitabilidade e os espaços para arrumos são alguns dos pontos fortes do novo Combo Life

Em gerações anteriores, a Opel recorria aos elementos e agregados mecânicos dos automóveis de passageiros e adaptava às silhuetas, compartimentos de carga ou habitáculos, consoante versões de mercadorias ou passageiros. O que agora se passa é algo diferente! O modelo foi desenvolvido de raiz, aproveitando todas as vantagens da modernidade da plataforma partilhada em vários modelos do Grupo. Em relação à modernidade atrás mencionada, fomos encontrar revestimentos interiores muito bem cuidados e boa filtragem, tanto das vibrações como dos ruídos. Face às cotas, os acessos aos assentos dianteiros são muito bons, enquanto o acesso aos lugares posteriores é muito facilitado, mediante portas laterais deslizantes. Na traseira, uma porta basculante e a possibilidade de abrir apenas o vidro, acrescentam alguma funcionalidade. Ainda no habitáculo, um conjunto de soluções e sistemas – já conhecidos da gama – enfatizam a modernidade do Combo Life, a funcionalidade na utilização, os espaços para arrumos e importantes factores de segurança activa e passiva, às quais se associam alguma sobriedade e requinte. A visualização (180º) das manobras de marcha-atrás, o visor sobre a coluna de direcção (head-up display) permite ler informações importantes sem alterar o ângulo de visão mais utilizado e, por fim mas não menos importante, uma volumetria que vai dos 597 aos 2.126 ou 2.693 litros, conseguidos num habitáculo modular.

 

                                                                                                                                                                                            

É verdade que uma imagem vale por 1.000 palavras. Todavia, as sensações superam as imagens e foi isso que constatámos, num brevíssimo contacto ao volante do Combo Life. Acerca da plataforma, cedo percebemos que a colocação das rodas, agora mais próximas dos topos da carroçaria, contribuem para um melhor desempenho dinâmico e conforto de rolamento. No que diz respeito aos motores, tanto os gasolina como os gasóleo nos deixaram a impressão de serem eficazes. Disponibilizam satisfatórias acelerações e reprises, enquanto no capítulo dos consumos de combustível, ficámos agradados com os valores parciais, conseguidos em trajectos de 40 quilómetros, divididos por estradas nacionais e percursos urbanos. No habitáculo e ao volante, demos conta de que será possível encontrar: um controlo de tracção semelhante ao utilizado no Grandland X; os ângulos, visibilidade e visualização exteriores do Crossland X; a conectividade de um Insignia; ou as sensações da cinemática de um Astra.

Gostámos –

Gostámos +

– Funcionalidade de alguns comandos

– Modularidade e habitabilidade

– Equipamento de série e segurança activa

– Comportamento dinâmico

– Conforto de rolamento

– Flexibilidade de utilização