Download PDF

Em 1957 e a pedido dos suecos, os italianos da Frua em Torino, desenharam o projecto 208 que deu origem ao P 1800. Em 1961 e a partir das instalações da Jensen em West Bromwich-Inglaterra, deu-se início à construção do modelo. Nessa altura, a Aston Martin equacionava fornecer motores para o exterior, mas os britânicos tinham relutância em partilhar o seis cilindros.

 

Assim nasceu o bloco de quatro cilindros em alumínio, um 2.5 com duplo veio de ressaltos à cabeça e 150 cv. Dos três motores construídos e testados, um destes foi parar ao Volvo Jensen P 1800, tornando o modelo em exemplar único. Em 1963 a produção foi transferida para Gothenburg-Suécia, e por isso acrescentaram um S ao modelo, cuja plataforma derivava dos 121/122 S mas com menor distância entre-vias. O motor aplicado foi o B 180 de quatro cilindros e potências de 100, 115 e 120 cv. No Outono de 1968 montaram um 2.0 de 118 cv e, no ano seguinte, apareceu a injecção de combustível.

 

No Outono de 1971 foi a vez da ES, diferenciada das restantes carrinhas através da designação “shooting brake” e pela fixação directa do vidro traseiro à carroçaria. Da “shooting brake” foram produzidas 8.000 unidades e para os que se lembram da televisão a preto e branco, o P 1800 foi o modelo de Simon Templar na série – O Santo – com Sir Roger Moore como protagonista.

 

 

 

 

 

Ficha técnica

Volvo P 1800, 1800 S e 1800 ES – produção total 39.414 unidades
motores 4 cilindros em linha 1.778 cc ou 1.986 cc
potência cv/rpm 1.8 de 100/5.500 ou 108 e 115 cv
2.0 de injecção de 120
transmissão M4, M4+overdrive ou automática de três relações
travões discos+tambores ou discos+discos