Download PDF

C&K Range Event-5A Renault Trucks mostrou as novas gamas C e K que identificam várias novidades! Uma nova postura da marca e respectiva equipa. A racionalização da gama de modelos. Uma nova abordagem aos segmentos da construção, serviços e superestruturas. Um conjunto de novidades que marca um novo ciclo na marca francesa.

Depois da ofensiva bem sucedida com a gama T, a Renault Trucks volta-se para o segmentos dos estaleiros e superestruturas, mediante a reedição das gamas C e K, que utilizam muitos elementos e agregados mecânicos dos estradistas, tanto nos chassis-tractor como nos chassis-cabina. Vistos do exterior, os camiões estão mais parecidos uns com os outros, enquanto no interior, o conceito da automação, está mais alargado às diferentes operações relativas à condução.

Apesar da profusão de comandos, a utilização acaba por ser intuitiva

No capítulo das transmissões, continuam a existir as manuais, mas a predominância vai para a utilização dos sistemas automatizados de 12 relações. Esta automatização, continua a conceder a possibilidade de escolher a pré-selecção manual, que agora se pode conjugar com o acelerador automático… que também pode ser manual. Por outras palavras, o que até aqui era frequente encontrar, era um acelerador automático “cruise control” que actuava de acordo com a velocidade seleccionada para o veículo. Mediante este sistema, pode-se seleccionar um regime no motor, que se mantém constante, independentemente das circunstâncias de circulação. No entanto, se existir necessidade, manualmente, pode-se subir ou descer a rotação do motor, e pode-se passar a transmissão para o modo manual, e subir ou descer nas relações de transmissão.

C&K Range Event-94Ao nível dos eixos as funcionalidades foram melhoradas, tanto ao nível dos bloqueios (no eixo ou entre-eixos) como na utilização do Optitrack. Em relação a este último, estamos a falar de um sistema hidráulico, acoplado ao eixo dianteiro e com duas funções: a de melhorar a motricidade, e a de optimizar a retenção. Mediante uma tomada de força ligada à traseira do motor, o Optitrack é constituído por dois motores hidráulicos (2x 41 kW) nos quais o óleo circula sempre e no mesmo sentido. Através de válvulas, o sistema pode funcionar como auxiliar da transmissão, mediante utilização da pressão de óleo que acciona os motores. Na ausência de pressão, a simples presença do óleo provoca a retenção, à qual se pode associar o travão-motor e/ou o retardador. Ainda em torno dos sistemas hidráulicos, as gamas C e K podem ter até três tomadas de força. Uma ligada à traseira do motor e que é também a mais potente, e outras duas acopladas na traseira da transmissão (caixa).

Aos comandos do 6×4

C&K 4Logo que entramos na cabina de um C 6×4, percebemos a evolução em termos de filtragem de sons e vibrações. As cabinas estão bem insonorizadas e no tocante às suspensões, o conforto sai beneficiado com as novas configurações. Numa primeira análise, a profusão de comandos no painel, obriga a alguma atenção e habituação no tocante à especificidade dos comandos e respectivo posicionamento. Num breve contacto ao volante, demos conta da facilidade com que se conduz este camião e da rapidez com que nos adaptamos aos sistemas. Em estrada, aproveitámos para testar a eficácia do travão-motor. Em 150 metros de um troço plano e sem tocar no pedal de travão, conseguimos reduzir a velocidade deste camião de 26 toneladas de peso bruto, de 65 para 15 km/h. Num estradão, testámos a eficência do novo sistema de acelerador automático, acertando o regime do motor nas 1.000 rpm. Em automático, a transmissão vai escolhendo a melhor relação de acordo com o acidentado do percurso, mas a selecção das relações de transmissão, também pode ser feita em modo manual, mantendo constante o regime do motor.

À pendura no quatro eixos

Renault_Trucks_K_4Para conhecer o 8×4 com Optitrack, preferimos o banco do pendura, por assim ser mais simples avaliar os diversos sistemas. Como atrás referimos, o Optitrack funciona como retardador ou como auxiliar de tracção, colocando 112 cv no solo, que contribuem para a melhoria da motricidade, e também para o equilíbrio dinâmico do veículo, sem ter o peso de uma transmissão convencional. Em movimento, é possível colocar ou retirar os bloqueios nos diferenciais, e também neste ponto, apreciámos a suavidade dos sistemas e respectiva eficácia no tocante à motricidade. Neste K também demos conta de um bom nível de conforto e insonorização, e ao fim de uns minutos, podemos afirmar que este camião se torna fácil de conduzir. A eficácia dos sistemas e o modo intuitivo como se podem utilizar os comandos, contribuem para a facilidade de utilização.