Download PDF

GLA 250 4MATIC, Designo Mountaingrau MAGNO, AMG Line, AMG Exklusiv Paket, Leder Schwarz ; GLA 250 4MATIC, Designo Mountain Grey, AMG line, AMG Exclusive package, black leather;

Em Agosto passado a marca alemã superou as vendas face a período homólogo. E perante um aumento de quase 12% na marca, o segmento dos SUV cresceu 40%.

Há coisas que nunca mudam. Em alternativa, há coisas que demoram muito tempo a mudar, mesmo quando analisadas numa vertente racional. Foi assim que olhámos para o GLA 200 CDI equipado com a transmissão manual de seis relações. Por um lado, continuamos a achar que a maior parte dos modelos da marca alemã, concedem um comportamento dinâmico bem mais interessante, quando equipados com transmissão automática ou automatizada. Por outro lado, a diversificação de modelos e versões que tem contribuído para o crescimento das vendas, vai ao encontro de quem aprecia as transmissões manuais, além de permitir uma poupança de pouco mais de 2.000 euros (2.081 €) face ao GLA 200 7G-DCT.

Preço-base

ISV

IVA

Despesas

PVP+Iva

IUC

27.450,44

6.325,25

 — 41.550 217,35
GLA 250 4MATIC, Designo Mountaingrau MAGNO, AMG Line, AMG Exklusiv Paket, Leder Schwarz ; GLA 250 4MATIC, Designo Mountain Grey, AMG line, AMG Exclusive package, black leather;

Em nossa opinião, os automatismos nas transmissões MB, continuam a ser mais eficazes em termos de gestão de potência e binário. No tracção dianteira, registe-se o refinamento na condução.

Nesta versão de 136 cv obtidos do bloco 2.143 cc, nota-se a diferença de menos uma relação na transmissão, em especial num motor que consegue a potência máxima às 4.000 rpm. Por outras palavras, numa gama de pouco mais de 3.000 rpm para acelerações e reprises, a transmissão automatizada, gere muito melhor os regimes disponíveis. No entanto, há quem goste de ‘explorar’ cada uma das relações, numa transmissão que nos deixou a impressão de ser precisa no engrenamento, , mas não gostámos tanto do escalonamento escolhido. Em nossa opinião, as 1ª e 2ª relações são um pouco ‘curtas’ enquanto as 5ª e 6ª são ‘longas’. Pelo facto de serem ‘curtas’ as primeiras concedem boas acelerações, ainda que as passagens de caixa concedam uma considerável perda de rotação, da qual o 136 cv recupera de forma satisfatória. Nas ‘longas’ as reprises são menos eficientes quando comparadas com a transmissão automatizada. No entanto, estas relações mais longas, beneficiam os consumos e o conforto acústico. Além disso, quanto mais baixo é o regime, menos vibrações e ruído.

 

GLA Erprobung ; GLA Testing;

No habitáculo, este GLA concede bons acessos e satisfatória mobilidade no interior, modulável com facilidade, mediante rebatimento dos assentos traseiros. Em termos de visibilidade, gostámos dos ângulos concedidos para a dianteira e laterais, enquanto para a traseira, as dimensões do pilar ‘C’ condicionam os ângulos, em especial nas manobras de estacionamento. Ao volante, reconhecemos os padrões de refinamento na condução, acompanhada por um bom desempenho dinâmico, tanto das suspensões como dos travões. Num brevíssimo contacto ao volante e sem circular em auto-estrada, chegámos aos 6,0 l/100 km à média de 36 km/h.

Além da melhor acessibilidade ao interior, o GLA concede um bom nível de conforto de rolamento e face ao A, consideramos ser mais confortável. Para quem goste de explorar em pleno os 136 cv, as oscilações laterais da carroçaria também são mais evidentes. Para superar esta característica e colmatando as reacções de um tracção à frente, a solução está no sistema 4Matic que, exige que se abram os cordões à bolsa e destrocar a nota.

Gostámos –

Gostámos +

– Ângulos de visibilidade na traseira

– Escalonamento da transmissão

– Comportamento dinâmico

– Conforto de rolamento

– Modularidade no interior/bagageira

– Materiais e finalização

– Equipamento de segurança

Ficha técnica

Mercedes-Benz GLA 200 CDI

motor

2.143 cc, turbo, SCR+FP

potência kW(cv)/rpm

100 (136)/4.000

binário Nm(kgm)/rpm

300 ( )/1.400-3.000

transmissão

Manual de seis relações

jantes/pneus

17”/215/60