Download PDF

2015_mazda_cx5_action_4O CX-3 está prestes a chegar ao mercado nacional, mas enquanto tal não acontece, é o CX-5 que ocupa o lugar dos “SUV” da marca, em especial o 4×2 (tracção dianteira) tarifado como classe 1 nas portagens. Existe também um AWD de transmissão integral, que entre nós é taxado como classe 2.

Nos modelos actuais (MY 2015), a Mazda efectuou algumas melhorias estéticas, o espaço continua a ser bom e no tocante à modularidade, esta continua a conceder boas volumetrias, tanto na bagageira como no habitáculo. E a este respeito, destacamos a fácil transformação deste “SUV” numa espaçosa carrinha… dos 503 aos 1.620 litros de capacidade.

 

2015_mazda_cx5_action_8Num breve contacto ao volante conduzimos a que para nós é uma das mais aliciantes versões, ou seja a 2.2 Skyactiv Diesel de 175 cv e transmissão automática. Num automóvel com muito equipamento de série e preços competitivos, registámos um consumo de 8,0 litros/100 km à média de 56 km/h. Face a estes números, é preciso não esquecer que estamos em presença de um automóvel com quase 1.500 kg quando pronto a rolar, e com equipamentos de segurança, conforto e até os que estão virados para a funcionalidade, como o apoio ao arranque em pisos inclinados.

Ao conduzir estes quatro metros e meio de Mazda, gostámos do conforto de rolamento e da forma como a tracção integral interfere no comportamento dinâmico do automóvel. Uma das características tem a ver com a quase anulação do efeito de rolamento que muitos destes “SUV” apresentam. Apesar de ser mais alto do que a generalidade dos automóveis de passageiros (1.670 mm) o CX-5 tem no acesso e habitabilidade, duas características de que gostámos. Por alguma razão este Mazda recebeu 57 prémios em três anos de presença no mercado.

 

2015_mazda_cx5_interior_10 2015_mazda_cx5_interior_6