Download PDF

Controlo n.º 1Numa etapa de 553 quilómetros, está na estrada a 18.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés que liga Albufeira ao Buçaco, registando uma caravana recordista com 1684 participantes em mais de 1500 motos. No Sábado, a etapa do Luso até Vila Pouca de Aguiar, será mais curta mas não menos exigente. O maior pelotão de sempre na maior maratona mototurística da Europa garante números astronómicos. Ao todo e respeitando a tradição, mais de milhão e meio de quilómetros na travessia de Portugal Continental, e pelo menos 3 milhões de litros de água para lutar contra a intensa canícula que se espera por estes dias. Prova disso, o passeio de abertura que mostrou o concelho albufeirense, desde icónicos locais de diversão nocturna das décadas de 1980 até à actualidade, como o Kiss ou o Kadoc, passando pelas mais famosas praias, de Olhos de Água à Falésia, da Galé a St.ª Eulália. Tempo também para as cerca de duas centenas de mototuristas espanhóis, franceses, holandeses, polacos, sul-africanos, brasileiros, angolanos, italianos, suíços e de outras nacionalidades, provarem a cerveja artesanal algarvia com o sugestivo nome de Marafada, ou os doces regionais da Santa Casa da Misericórdia da Albufeira. O momento histórico do dia centrou-se na visita ao Castelo de Paderne, uma pequena fortificação rural, fundada pelos almóadas na segunda metade do século XII e que foi o último bastião árabe conquistado em território nacional.

O pequeno farol da Ponta de Baleeira foi outro dos pontos mostrado com orgulho pelo presidente da CMA e motociclista convicto, Carlos Eduardo da Silva e Sousa, que adiciona o seu nome à longa lista de participantes, que inclui nomes bem conhecidos de outras áreas como Cândido Barbosa, o ciclista português com maior número de vitórias, ou Armindo Araújo, o bicampeão mundial de ralis na categoria Produção. Em destaque os aventureiros que alinham aos comandos de pequenos ciclomotores de 50 cc de fabrico nacional ou nas eternas Vespa.