Download PDF

Bussaco Palace Hotel será cenário da etapa do Lés-a-Lés 2016 aDois dias de perfil bem diferente marcam a 18.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés, a maior maratona mototurística da Europa que volta a unir os extremos do mapa continental. De Albufeira ao Luso/Bussaco e daí a Vila Pouca de Aguiar, tempo para descobrir alguns dos mais secretos encantos nacionais ao longo de 1000 quilómetros de aventura. Aqui ficam mais algumas dicas para reforçar o apetite dos 1600 participantes. E dos muitos mais que gostariam de integrar a enorme e multifacetada caravana.

O reconhecimento levado a cabo pela Comissão de Mototurismo da FMP revelou mais alguns motivos de interesse da grande aventura, a começar pelo prólogo, de grande intensidade, com 67 km, alternando hotéis, praias e outros locais de enorme interesse como o Castelo de Paderne. Exemplo marcante da arquitetura militar muçulmana cujo valor estratégico valeu estatuto de ser um dos sete castelos representados na Bandeira Nacional. Descoberta histórica que ajudará a ganhar apetite para o jantar servido com vista sobre a Praia dos Pescadores, local de onde será dada a partida do dia seguinte.

Primeira etapa, longa de 530 quilómetros, de perfil bem rolante mas a exigir concentração para não chegar demasiado tarde ao Luso, e com dois pontos realmente «picantes». Com 12 controlos de passagem que assinalam o cumprimento de todo o percurso delineado pelo road-book, esta etapa conta com passagem por muitos locais em estreia absoluta no Lés-a-Lés, de grande beleza e enorme interesse, além dos Oásis onde a caravana pode ir petiscando e matando a sede, com águas ou sumos, mas sempre sem bebidas alcoólicas por perto.