Download PDF

duas motos em movimentoCom a memória fresca dos comandos de uma HD muito diferente face ao que estamos habituados, a Street 7½ deixou-nos a imagem da ligeireza do novo motor, da estreiteza da ciclística, e da beleza inerente ao estilo das motos urbanas. Assim sendo, a sequência natural foi a experiência de condução de uma Sportster, mais precisamente numa das três versões personalizadas. Recorde-se que há umas semanas atrás, apresentámos aqui uma outra Sportster (XL Iron 883) a evocar os 35 anos de carreira dos Xutos & Pontapés.

Desta vez, e com as evoluções para 2015, olhamos para uma 1200 que conjuga as cores Amber Whiskey/Vivid Black! Um renovado motor “Evolution” que persiste numa solução iniciada em 1984, ou seja a fixação directa ao quadro, mas dotado de cabeças e cilindros em alumínio e injecção electrónica. O guiador é baixo e quase direito ao estilo “drag” mas disponibiliza soluções tão funcionais como os piscas automáticos.lateral fundo branco

As jantes de 16” e cinco braços bicromáticos, alojam os generosos Scorcher da Michelin (130 na frente e 150 atrás). Os apoios dos pés colocados numa posição mais central em relação ao quadro e mais afastados do motor. E por fim mas não menos importante, os novos escapes, por onde as emissões passam, depois de devidamente tratadas, face às exigências actuais.

Para além das exigências actuais, as tendências também marcam esta CA! É como ouvir a Carminho a cantar o fado, mas vestida como se estivesse a fazer compras no Chiado. No caso desta Sportster, se avaliarmos a descrição anterior, e com as ilustrações aqui apresentadas, pode dar a ideia de que estamos em presença de uma dissonância cognitiva… mas não é nada disso.

instrumentosNo tocante à instrumentação, esta não podia ser mais simples! Um único indicador, inclui os dígitos correspondentes à relação engrenada e rotação do motor, quilometragem parcial/total, e um indicador luminoso, para quando a gasolina escasseia no depósito de 17 litros.

Outro dos sinais de modernidade, tem a ver com a utilização da chave, que pode permanecer no bolso. Para desligar e ligar o V2, tudo se passa em dois botões colocados no punho direito.

Como acontece com a maior parte destes modelos, montar ou desmontar é muito fácil, e uma das razões tem a ver com o facto de a altura ao solo ser de 710 mm. No caso da CA que guiámos, apesar dos apoios dos pés estarem mais atrás (e alargados) do que é habitual, os duzentos e muitos quilogramas (255 kg em seco) não comprometem a agilidade para manobrar esta Sportster.lateral duas moto

Em cidade, a moto evolui bem nas acelerações e reprises, e o mesmo acontece com a travagem dotada de ABS. Em auto-estrada, gostámos menos das vibrações, sempre perceptíveis, qualquer que seja o regime escolhido. E acima dos 90~100 km/h, para quem se proponha fazer viagens mais longas, a aerodinâmica, pode ser sinónimo de fadiga. Todavia, quando vamos para estradas nacionais, é fácil deixar que a condução nos cative, porventura mais do que os 67 cv.

As cinco relações de transmissão engrenam bem, e o som característico de cada ‘passagem’, cedo nos concede a habituação para balancear a moto e o motor, com este último a transmitir (sempre) alguma vibração, parcialmente absorvida pela correia de transmissão. Os bojudos pneus também ajudam a suavizar o andamento que, em termos de inclinação lateral, não chega aos 30º.