Download PDF

Conceitos cruzados

Clicar para começar e parar a reprodução das imagensEm bom rigor e analisando o que está escrito no documento único, o Tourneo Custom tem um enquadramento fiel à silhueta exterior, mas que nada tem a ver com o equipamento interior, mais alinhado com o dos automóveis de passageiros. Os equipamento de segurança são disso um exemplo e por entre os concorrentes, são poucos os que se alinham com este Ford. Conduzimos a versão mais potente equipada com TV e quando chegou a altura de ir às compras, estacionámos num parque interior de uma grande superfície.


A importância de uma referência

A reformulação da gama Ford de ligeiros de mercadorias/passageiros está praticamente pronta, e no tocante às conquistas de mercado, são visíveis as ambições da marca. A estratégia passa por usar uma designação conhecida e que, para além disso, constitui referência mundial, quando se fala de ‘comerciais’: estamos a falar da Transit.
Isto significa que passaremos a ter no mercado dos ligeiros de mercadorias, os Transit Courier, os Transit Connect e os Transit Custom, alargando a escolha nos furgões de ou abaixo de uma tonelada de carga útil. Também com este valor ou acima, o Transit continuará a estar presente no mercado.
No entanto, desta vez a notícia não tem a ver com os “Van” mesmo que o Transit Custom tenha vencido o galardão internacional do furgão do ano – International Van of the Year para o ano de 2013.
Nos modelos atrás mencionados, todos estes declinam em versões Combi, ou seja em furgões vidrados para transporte de passageiros, habitualmente designados por Tourneo. No entanto, em relação ao Tourneo Custom, foi-se um pouco além disso, utilizando algumas das referências e agregados dos automóveis de passageiros e propondo no mercado, uma versão de oito lugares.

A herança dos passageiros

Longe vai o tempo em que eram justificadas as críticas aos furgões de passageiros, muitas das vezes adaptados dos furgões, nos quais em vez dos painéis laterais, existiam janelas, que nem sempre abriam. As 2ª e 3ª fila de bancos não concediam qualquer conforto e evidenciavam a falta de filtragem (som, vibrações e temperatura)e face a essas evidencias, o conforto era penalizado. Com o Tourneo Custom existem várias herança do segmento dos automóveis de passageiros, como por exemplo acontece com o 2.2 TDCi, o nível Titanium para os equipamentos, ou volante e painel de comandos. Assim sendo e em bom rigor, estamos a falar de um furgão ligeiro de passageiros, mas a questão é se estamos a ser justos? Todavia, se for para a neve com uns amigos e na preparação da viagem contactar com uma agência de viagens ou aluguer de automóveis, não se esqueça que neste tipo de veículos – em especial na carroçaria mais longa – cabem 8 ou 9 pessoas (nos monovolumes são 7) incluindo quem conduz, e lá atrás cabem as malas e os esquis, ou duas BTT nas quais não é preciso desmontar rodas.
Se não tiver esquis ou BTT, pode escolher a versão mais curta e desfrutar da modularidade interior.

Utilização alargada

É evidente que a versão longa (L2 – 5.339 mm) concede muitas das vantagens atrás referidas. No tocante à largura é igual a todas as outras versões com ou sem retrovisores (2.290/1.986 mm), mas na cota de altura há um ponto a destacar! A silhueta da Tourneo Custom e a respectiva proporcionalidade, podem revelar um veículo grande face aos automóveis de passageiros ou monovolumes. No entanto, com 1.997 mm de altura, a Tourneo Custom concede uma característica que não é de descurar: consegue-se entrar na maior parte dos parques de estacionamento das grandes superfícies e outros parques, normalmente limitados a 2,10 metros de altura. Em muitos destes a antena toca no tecto ou nas estruturas métalicas suspensas e nesses casos, recomenda-se algum cuidado nas manobras de marcha-atrás. A câmara de televisão (opcional 600 €) não filma por cima do tejadilho, apesar de ser um precioso auxiliar nas manobras de estacionamento.

Aos comandos

Entar para o Tourneo Custom é tarefa fácil e uma vez no interior, as primeiras impressões, identificam a utilização de diversos elementos de outros modelos Ford. É o que acontece com o painel, instrumentação, comandos, volante e equipamentos, nos quais destacamos os faróis automáticos e de nevoeiro, limpa-vidros com sensor de chuva e desembaciador, vidros escurecidos, ar condicionado duplo com distribuição para os lugares traseiros, ordenador de dados, assentos de condutor e passageiro com aquecimento e diversos ajustes.
Os primeiros quilómetros efectuados no Tourneo Custom, permitiram avaliar outro item que conhecemos da gama de passageiros. Trata-se do 2.2 TDCi de 155 cv, a mais potente das três escolhas (100,125 ou 155 cv)acoplada a uma transmissão manual de seis relações com um comando do tipo “joystick que permite ganhar espaço e mobilidade entre os bancos dianteiros, característica muito útil quando o deixam trancado. As portas laterais deslizantes garantem o acesso e chega-se facilmente ao lugar de quem conduz, na versão de oito lugares. Na versão de 9 lugares, o que se ganha em mais um lugar, perde-se em mobilidade no interior.
Com um eficaz desempenho em termos de binário, para além das boas reprises, torna-se agradável utilizar a transmissão bem escalonada e com fácil manuseamento. Outro dos itens que gostámos de utilizar, tem a ver com a assistência ao arranque nas subidas, e o mesmo acontece com a profusão de sistemas de apoio à condução e segurança, tanto passiva como activa. De série, encontramos neste Tourneo Custom Titanium, o sistema de chamada de emergência SYNC, ABS+EBA, “airbags” condutor, passageiro, laterais e cortina, “stop/start” e um acelerador automático com limitador de velocidade a 110 km/h que facilmente se desliga, quando optamos por abandonar a economia de combustível em favor de andamentos mais vivos. Num breve contacto ao volante e em percurso misto (urbano+EN+AE) conseguimos chegar aos 9,2 litros/100 km à média de 48 km/h.

Feitos num oito

A maior parte das análises aos modelos Ford comercializados na Europa, são efectuadas em Lommel-Bélgica, onde efectuaram 30 testes para avaliar a durabilidade da nova Tourneo Custom (e também da Transit Custom). Durante seis meses e para ‘condensar’ uma utilização a 10 anos, os veículos são testados durante 24 horas e em todos os dias da semana. Alguns destes testes, são de tal forma exigentes, que os condutores mudam a cada três horas.
Em termos de quilometragem estamos a falar de cinco milhões, e quando se trata de avaliar as portas dianteiras, estas ‘batem’ 250.000 vezes – três vezes mais do que os testes efectuados nos automóveis de passageiros.Outro dos testes é efectuado num percurso com buracos e lombas de 50 mm de cota, no qual os veículos passam – 5.200 vezes – a 70 km. Para testar as suspensões e direcção, existe um teste específico que consiste em fazer sequências de oitos. Esta prova dura um mês e são efectuados 12.000 ciclos, ou seja oitos, aos modelos Ford produzidos na Turquia.

Gostámos Mais

  • Comportamento dinâmico
  • Conforto de rolamento
  • Modularidade interior e bagageira
  • Equipamento de série e segurança
  • Acelerador e limitador velocidade

Gostámos Menos

  • Inércia portas laterais deslizantes
Modelo/Versão Ford Tourneo Custom 2.2 TDCi Titanium
Potência 114 kW (155 cv)/3.500 rpm
Binário 385 Nm (37,8 kgm)/1.600 rpm
Consumos Urb: 7,3; Ext-Urb:6,1; Combinado: 6,5 l/100 km
CO2 172 g/km
Médias 9,2 l/100 km a 48 km/h
Preço Base 33 125,51 €
ISV 6 858,23 €
IVA 9 196,26 €
Ecotaxa 0,00 €
Documentação 0,00 €
€ chave na mão 49 180,00 €
IUC 342,55 €