Download PDF

Da renovação às soluções

250_4Com o ciclo de renovação de gama terminado, a Ford procura novas propostas para os ligeiros de mercadorias e passageiros, vulgarmente apelidados de ‘comerciais’. O Transit 24 é um dos novos serviços, mas em nossa opinião, a proposta de uma solução telemática é bem mais interessante do que o alargamento do horário de serviços. Mais do que vender um veículo, a marca da oval azul propõe um conjunto de soluções. E ao contrário do que habitualmente acontece, parte da transformação para as miniaturas.

Ciclo completo

Em território europeu são 6.000 os concessionários Ford, estando 750 dedicados ao negócio Transit. No entanto, a designação que durante muito tempo foi identificada como a do ‘furgão’ é agora mais abrangente, por dois motivos. O Transit tem um novo modelo, enquanto na gama de ligeiros de passageiros e mercadorias, os modelos Ford passaram a adoptar esta designação. Em termos práticos e falando apenas de ligeiros (o Transit também tem furgões pesados ou até 18 lugares), a gama é composta pelos Transit Courier, Transit Connect, Transit Custom e o original Transit que, na marca da oval azul, se tornou no primeiro ‘comercial’ a ser globalizado.
Os furgões terão dois níveis de equipamento (Ambiente e Trend) com três potências (100, 125 e 155 cv) obtidos através do 2.2 que é o bloco disponível. Nos chassis-cabina simples existirão os médio, longo e extra-longo em versões Trend com 125 e 155 cv, enquanto nas versões Ambiente, encontraremos três potências e igual número de configurações de chassis (médio, longo e extra-longo) com destaque para o extra-longo com rodado duplo e 125 cv.
Nos MiniBus os níveis de equipamento serão idênticos aos furgões, com duas potências (125 e 155 cv) e lotação para 14 ou 17 lugares. As versões vidradas Kombi e as referências de mercado, os chassis-cabina dupla, complementam a oferta que também inclui versões de tracção integral.

Dos motores à navegação

Neste processo de renovação, a Ford foi além dos veículos e começa a perfilar um conjunto de soluções, que poderemos designar como de transporte. O Transit 24 é disso um exemplo, sendo que este procura alargar a disponibilidade dos serviços de manutenção preventiva e correctiva. Todavia, em nossa opinião, o mais interessante é a proposta telemática com base na Telogis – uma empresa americana com vasta experiência neste tipo de sistemas. Mediante utilização do sistema de navegação instalado no veículo, acrescenta-se um módulo que aproveita o visor, no qual aparecem as melhores orientações para chegar ao destino, alertas de diagnóstico referentes ao veículo, indicações de viagem (tempos de condução, consumos, médias) entre outros. Ao escritório central ou ao gestor do veículo, que muitas das vezes é quem o conduz, chega informação mais detalhada sobre o veículo, condução e transporte efectuado. O sistema tem uma renda mensal e durante o salão de Hannover, procurámos avaliar custos. Algumas das propostas de mercado, rondavam os 30 a 36 €, enquanto a da Ford se situava nos 26 a 27 €.

Do original à miniatura

A tradição de transformar os furgões em verdadeiras máquinas de desejo, é algo que na Ford já se tornou num hábito. Basta recuar um pouco no tempo do historial da F1, e recordar os sucessos de Sir Jackie Stewart, para nos lembrarmos do V8 Cosworth que a Ford Motorsport um dia colocou num Transit. Mais tarde e com outra geração, transformaram radicalmente uma outra Transit, que foi viatura de assistência rápida para o malogrado piloto de ralis Colin McRae.
Numa das mais recentes transformações, a Ford pegou num Transit Courier, e elaborou este “hot wheels” no qual destacamos as jantes, os quatro discos ventilados e os Recaro no interior. A inspiração estética veio da conhecida marca de miniaturas, que dentro em breve irá comercializar a réplica deste Transit Courier.