Download PDF

Elisabete Jacinto subiu hoje ao terceiro lugar do pódio da competição destinada aos camiões no Morocco Desert Challenge. A equipa Bio-Ritmo alcançou os objectivos traçados para esta corrida depois de terminar a sétima e última jornada desta maratona africana, onde conquistou o quarto posto da classificação na sua classe. Os portugueses demoraram 01:19:52 a cumprir os 138 quilómetros cronometrados que compunham a etapa que ligou Tendrara a Oujda tendo terminado a especial com uma diferença de 05:25 para o holandês Martin Van Den Brink,  o grande vencedor da categoria camião desta prova. Para além de três camiões, apenas dois carros foram mais rápidos que Elisabete Jacinto a realizar o traçado de hoje. O trio português composto por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho concretizou todo o rali sem problemas a registar e conseguiram vencer duas (a primeira e a penúltima) das sete etapas desta prova. Aliás, a formação lusa permaneceu desde o primeiro dia de competição nas posições cimeiras entre os T4 o que lhe permitiu manter o terceiro posto da classificação geral da sua classe, lugar obtido ao final do segundo dia de corrida. O sector selectivo desta derradeira especial foi encurtado porque o mau tempo que se fez sentir nos últimos dias deixou algumas zonas impossíveis de transpor. Assim, por razões de segurança a organização da prova optou por anular os últimos 40 quilómetros da etapa. Ainda assim, Elisabete Jacinto fez um balanço positivo desta jornada e mostrou-se bastante satisfeita com o resultado alcançado: a especial de hoje foi um pouco mais curta. Caiu granizo e choveu durante a noite e havia partes com “oueds” que estavam cheios de água e era impossível passar. Assim a organização decidiu cortar os últimos quilómetros para que não houvesse problemas. O sector selectivo correu-nos bem. Fomos o segundo veículo a partir para a etapa e fizemos toda a especial sempre a acelerar. Viemos um bocado grande atrás do Renault da equipa 505, mas às tantas eles pararam com um problema e nos passámos para a frente e fomos o segundo camião a chegar ao acampamento. Esta prova  correu bastante bem. O balanço não podia ser mais positivo. Não tivemos problemas a assinalar e estamos muito contentes com o nosso resultado. Já estávamos a precisar de uma corrida assim, contou Elisabete Jacinto no final da etapa. A equipa Bio-Ritmo estará de regresso às competições em Outubro altura em que se irá disputar o Rally Oilibya du Maroc 2017.