Download PDF

Entre Abril e Setembro do corrente e com base no XC 60, o parque circulante da Volvo irá aumentar! A razão: o novo XC 60. Todavia, se em equipa ganhadora não se mexe, ficámos curiosos sobre o que nos poderia proporcionar o actual XC 60 e, num breve contacto ao volante, conduzimos o D3 Dynamic Geartronic. Traduzido para uma linguagem menos técnica, conduzimos um dos modelos de sucesso da marca sueca, com o novo motor 2.0 de 150 cv e transmissão automática. E por que já conduzimos algumas versões, desta vez começámos por analisar alguns detalhes, como por exemplo, a possibilidade de montar jantes de 17, 18 ,19 ou 20” e obter da mesma viatura, diferentes comportamentos dinâmicos e distintos níveis de conforto de rolamento. No interior, a possibilidade de transformar os assentos em cadeiras destinadas a crianças até aos 12 anos. E motivados pela matemática, fomos à procura de alguns dos números importantes neste SUV. A primeira revisão ocorre aos 30.000 km e até aos 120.000 km o custo estimado de todas as manutenções programadas é de 1.690 € (iva incluído). Nos custos de aquisição, o pvp base é de 43.950 €. O custo final da versão ensaiada está nos 61.139 €, mas neste último, há que considerar os benefícios dos 6.015 € de equipamento. Em termos de IUC… e por quatro gramas… este XC 60 paga 252,47 €.

 

 

Entre os itens de equipamento opcional destacamos a iluminação (interior e exterior), o “business connect pro-pack” e a visualização das manobras de marcha-atrás, com esta última a conceder um bom desempenho em qualquer situação, tanto de dia como de noite e até mesmo à chuva. Na conectividade, apreciámos a racionalidade do sistema, e a forma intuitiva como se consegue aceder aos menus e sub-menus. O acesso ao habitáculo é bom, sendo muito fácil encontrar uma boa posição de condução. Os diversos ajustes no volante, coluna de direcção e assento, a isso ajudam. Em termos de visibilidade, esta é boa para a frente e ângulos laterais, sendo condicionada em alguns ângulos devido às dimensões do pilares ‘A’ e espelhos retrovisores. Os pilares garantem a estrutura e a segurança passiva, enquanto a dimensão dos retrovisores concede boa visibilidade, em especial quando estamos na presença do sistema de aviso de intrusão nos ângulos-mortos. Na traseira, encontramos mais condicionamentos da visibilidade. Além da largura dos pilares ‘C’ o óculo traseiro é de reduzidas dimensões, acompanhando as linhas angulosas da carroçaria. No entanto, a visualização de manobras de marcha-atrás e os sensores de movimento, servem para anular esta condicionante. Com boa modularidade nos assentos traseiros, e apesar das dimensões exteriores deixarem antever mais, este XC 60 concede 490 ou 1.450 litros de volumetria, com 33 litros sob o piso da bagageira.

 

Para um automóvel cujo peso ronda os 1.800 kg, e se encontra preparado para rebocar outro tanto, desde que o reboque tenha travões, a existência de 150 cv a partir do novo quatro cilindros de 2.0 litros, pode dar a impressão de que é pouco. No entanto, em nossa opinião, é mais do que suficiente. É um facto que em determinadas situações, a inércia é perceptível mas apenas durante o espaço em que se pisca um olho. Ou quando muito os dois. Para isso contribui a suavidade de funcionamento da transmissão automática, e o eficaz escalonamento das oito relações com a 6ª a permitir 1:1. Na prática, esta característica permite que nas 7ª e 8ª o motor rode a baixos regimes (< 2.000 rpm) contribuíndo para a economia de combustível. Num breve contacto ao volante, obtivémos o consumo de 5,6 litros/100 km à média de 51,0 km/h no habitual percurso misto (AE+EN+Urbano).

 

 

Apesar do automatismo a “geartronic” permite a intervenção de quem conduz. De forma sequencial, o comando permite explorar a gama de rotações do motor, e para os mais exigentes, o painel de instrumentos pode ser mudado na cor e informação. Desta forma, o XC 60 pode ser conduzido em função da velocidade ou da rotação. Em qualquer dos casos, o comportamento das suspensões e travões, deixou-nos a impressão de sueca eficácia.

 

Gostámos – Gostámos +
– visibilidade para a traseira – Comportamento dinâmico

– Conforto de rolamento

– Equipamento de segurança activa/passiva

– Eficácia da transmissão geartronic

– Comandos intuitivos

 

Ficha técnica

Volvo XC 60 D3 Dynamic Geartronic
motor 4 cil, 1.969 cc, CR+Turbo
potência kW(cv)/rpm 110,3 (150,0)/4.250
binário Nm(kgm)/rpm 350 (34,3)/1.500~2.500
transmissão Dianteira, geartronic automática oito relações
jantes – pneus 18” –