Download PDF

Brembo GP Alemanha 201627 Porsches, as Portas de Brandenburgo, 3.800 caixas de cerveja e parte do estádio do FC Bayern Munich, ajudam ajudar a explicar como os travões Brembo são utilizados no circuito alemão. Situado em Baden-Wurttemberg, o Hockenheimring foi utilizado para o GP Alemanha entre 1977-2006 (excepto em 2005). Depois de redesenhado por Hermann Tilke, tem alternado com Nurburgring, e utilizado nos anos pares, como até aqui aconteceu em – 2008, 2010, 2012 e 2014. Com velocidades médias acima dos 220 Km/h, o circuito de Hockenheim é um dos mais rápidos no campeonato. A primeira parte da pista é muito rápida e menos exigente em termos de travagens. Depois da curva 8, o traçado torna-se mais exigente para as travagens, e de acordo com os técnicos da Brembo, numa escala de 1 a 10, o traçado alemão é considerado de dificuldade média (6) a par dos circuitos de Barcelona e Xangai. Por volta, os pilotos usam os travões oito vezes, ou seja 19% do tempo do GP é utilizado nas travagens, para uma desaceleração média de 3,6 g. Em termos de energia dissipada durante as travagens, estamos a falar de 123 kW/h, ou seja ¼ da eletricidade consumida nos painéis publicitário durante um jogo de futebol no estádio do Bayern de Munique.

Formel 1 - MERCEDES AMG PETRONAS, Großer Preis von Deutschland 2016. Nico Rosberg ; Formula One - MERCEDES AMG PETRONAS, German GP 2016. Nico Rosberg;

Durante a corrida, cada piloto aplica 58 toneladas de força nos travões, ou seja o peso equivalente a 3.800 grades de cerveja. A travagem mais exigente ocorre na Spitzkehre (curva 6) na qual as velocidades baixam de 333 para 70 km/h em 126 metros – o espaço ocupado por 27 Porsche 919 Hybrid, vencedor nas 24 Horas de Le Mans. Na curva 12 e para reduzir a velocidade de 294 para 225 Km/h, a força exercida no pedal é de 107 kg, enquanto a distância de travagem é de 62 metros, ou seja a distância das Portas de Brandemburgo.