Download PDF

Em Portugal, mais de metade das PME’s (57%) não aplicam qualquer regra de gestão e utilização da sua frota automóvel, sendo que existe uma média de sete viaturas por cada PME em Portugal. Por outro lado, mais de oito em cada dez PME’s (86%) afirmam necessitar de soluções de mobilidade para apoiar a gestão do seu negócio. Estas são algumas das conclusões do estudo Mobilidade nas PME’S portuguesas. A pergunta que deu origem ao estudo foi a seguinte: o que precisam as empresas para o apoio ao seu negócio? Realizado pelo Corporate Vehicle Observatory (CVO) e apresentado pela Arval Portugal, a investigação, a primeira feita em Portugal sobre a gestão de frotas e mobilidade nas PME’s, retrata as características da frota automóvel neste segmento de empresas (que representam 90 a 95% do tecido empresarial português) e a forma como são tomadas as decisões de gestão sobre esta área de custos nas empresas, bem como as necessidades, actuais e futuras, dos gestores das nossas PME’s.

 

O custo da viatura é o principal factor de decisão em 47% das empresas, que continuam a optar pelo crédito em 71% dentre as soluções de financiamento.

As PME’s são actores centrais na economia portuguesa, pelo que é imperativo conhecer as suas necessidades para conseguirmos dar respostas eficientes e competitivas. O que o estudo demonstra é que as decisões relacionadas com a gestão da frota automóvel ainda são tomadas de forma muito arbitrária e, claramente, há um enorme espaço de melhoria para apoiar os decisores destas empresas a tomar as opções mais estratégicas para conseguirem acrescentar valor à sua actividade. Esse é o nosso compromisso, explica Gonçalo Cruz, responsável do CVO em Portugal. Segundo a investigação, 71% das PME’s recorrem ao crédito para aquisição de viaturas, sendo que consideram esse financiamento como um investimento para o negócio. Por outro lado, apesar de 47% das PME’s nacionais considerarem que o custo é o principal critério de escolha para a aquisição de uma viatura nova, as questões do consumo de combustível e da carga fiscal não parecem ser devidamente valorizadas. Apenas 17% dos gestores das PME’s dizem analisar os consumos médios das viaturas antes de decidir pela compra e somente 3% ponderam o peso da carga fiscal. Segurança e benefícios para os colaboradores, redução de custos e do tempo despendido com a gestão da frota são as principais necessidades referidas pelas PME’s.

 

Na maior parte dos casos, as viaturas de serviço são destinadas a cargos superiores, enquanto 37% se destinam a equipas comerciais

O estudo revela, ainda, que o principal motivo para a aquisição de viaturas é a necessidade de aumentar a frota automóvel, sendo que essa decisão é tomada, maioritariamente, pelo responsável máximo da organização. As principais alternativas de financiamento utilizadas são o Crédito e o Leasing, apesar de se notar uma quebra nestas modalidades, sendo que o Aluguer Operacional (Renting) é, ainda, pouco capitalizado (somente 13% das empresas), com 47% das PME’s a desconhecer esta possibilidade de financiamento. Apesar disso, o Aluguer Operacional é o modelo com menor taxa de abandono. Na esmagadora maioria dos casos – 80% – as viaturas de serviço são destinadas ao diretor-geral / administrador, enquanto em 37% das situações, as viaturas são atribuídas às equipas comerciais. Por último, 51% dos empresários revelam disponibilidade para pagar um valor mais elevado, para evitar custos controlados.