Download PDF

O confronto dos invencíveis

DSC_0021A edição deste ano do Arctic Test 2015 foi dividida em dois grupos. Um para furgões de grande volume e outro – aqui apresentado – que permitiu comparar os mais recentes Vito e Trafic com o Transit Custom, todos estes no segmento da tonelada de carga útil. Como é habitual, esta 29ª edição do AVT contou com a equipa de testes finlandesa e as paisagensDSC_0192 já conhecidas de edições anteriores. O comparativo, começou pela preparação dos furgões, que foram atestados, carregados, pesados, medidos e equipados com a metrologia habitual. Quanto aos resultados, pelo menos para nós, foram uma agradável surpresa.

Equipa de testes: Pentti Mustonen, Heikki Laurell, Halvdan Korsmo, Anders Karlsson, Johannes Reichel, Leo Van Hoorick, Tero Lahtinen, Kari Heikkinen, Eino Malm, Henri Pakarinen, Rickhard Kienberger.

No tocante à proveniência dos furgões, o Ford e o Renault foram cedidos pelo importador local, enquanto o Mercedes-Benz foi emprestado por um cliente. Antes de dar início ao teste e já com todo o equipamento de medida montado, foi altura de decorar os veículos com os autocolantes dos patrocinadores (Neste Oil, Nokian Tyres and Calix). O início do teste, levou a medir os compartimentos de carga e o segundo passo, permitiu avaliar os equipamentos de série de cada um dos veículos e os pontos de verificação habituais, como verificação de nível de óleo, depósito do lava-vidros, entre outros.

Mobilidade e manobras

8

Com o auxílio de um boneco medem-se os ângulos de visibilidade e a amplitude dos ângulos-mortos

O primeiro teste foi o do diâmetro de viragem. Na maior parte dos casos, estes diferem dos valores divulgados pelos fabricantes, devido à montagem de pneus de Inverno, e divergem também nos valores medidos ao virar para a esquerda ou direita. A inversão de marcha também foi avaliada, mediante simulação (em pista) de uma rua estreita e com um portão. Neste ponto, procurámos avaliar a manobrabilidade, as voltas ao volante e a visibilidade. Neste capítulo, o Renault Trafic conseguiu as melhores pontuações, com escassa vantagem sobre o Transit Custom. O espelhos laterais do Trafic concedem boa visibilidade nas três direcções, e o espelho ‘grande angular’ colocado na pala de Sol do lado do passageiro, concede grande utilidade. Neste capítulo, o MB Vito recebeu menos pontos devido à dimensão dos espelhos, mais configuradas para veículo de passageiros.

Empates no circuito urbano

DSC_0015

A acessibilidade ao interior e o desempneho das suspensões forma pontos em destaque no Vito

Os testes urbanos foram efectuados na área de Oulu e visaram, essencialmente, a avaliação da acessibilidade ao interior, binário, manuseamento da transmissão, visibilidade e motricidade, entre outras. Neste grupo de furgões de uma tonelada, o confronto foi renhido, com os Ford e Mercedes a conseguirem as melhores pontuações no capítulo da acessibilidade, tendo o MB levado vantagem na visibilidade lateral e dianteira. O Renault foi o que obteve melhores resultados nas manobras e também nos arrumos, em especial nos espaços destinados a formatos A4. O Trafic recolheu ainda as preferências no tocante ao desempenho do selector de transmissão e motor bi-turbo, enquanto no Vito se mediram os melhores valores de insonorização ao nível da cabina.

A batalha dos melhores

DSC_0102

Na pontuação total e pela primeira vez, cada um dos furgões chegou aos 209 pontos. Nos parciais, continuamos a encontrar muitas diferenças.

Nas 29 edições do Artic Van Test (iniciado em 1987) e pela primeira vez, chegámos ao final com os três furgões a conseguirem a mesma pontuação. Em nossa opinião, este resultado traduz o elevado nível tecnológico e o apuro na finalização, conseguida nestes veículos dedicados a uma utilização profissional. Os pontos do teste atribuem um “ranking” mas não traduzem os valores dos veículos nos diversos mercados, nem os custos das peças ou pós-venda. A taxação dos veículos também ocupa uma parte importante do negócio, e o mesmo acontece com os custos financeiros, combustíveis ou seguros.

O vencedor na estrada

DSC_0090

Nas diversas situações do teste, a condução do Ford recolheu sempre boas pontuações

Nos diversos tipos de utilização ao longo do percurso de teste, o Ford Transit Custom demonstrou ser o mais versátil na condução. O conforto de rolamento foi um dos pontos enaltecidos pelos condutores, que gostaram dos ângulos de visibilidade concedidos pelos retrovisores, em especial em trânsito urbano. O compartimento de carga foi considerado menos eficiente face aos dos concorrentes directos, e os botões na consola central, podem causar alguma dificuldade de habituação. Os alargados períodos de manutenção, são uma das vantagens do Ford.

O vencedor na cidade

DSC_0171No trio testado, o Mercedes-Benz Vito comprovou ser o mais eficiente na cidade – em parte pela fácil acessibilidade à cabina. Por outro lado, os retrovisores, foram considerados os piores e a visibilidade em circuito urbano podia ser melhor. As suspensões receberam a melhor das pontuações, e a tracção dianteira está a um bom nivel de eficácia. O funcionamento do motor a baixos regimes e a exíguidade da cabina, agradaram menos. Na gama, o Vito pode ser encontrado com tracção dianteira, traseira ou 4×4.

O vencedor na logística

DSC_0041

A gestão de espaço no interior e um espelho adicional colocado do lado do passageiro, foram destacados no Renault

O Renault foi apreciado pelo moderno equipamento. Na cabina e em sítios diferentes, existem lugares para ligar e alojar computador e telemóvel. Existem também diversos espaços para arrumos e papéis. O Trafic está repleto de detalhes que lhe concedem vantagem face aos concorrentes. Um dos itens é o espelho ‘grande angular’ colocado na pála do lado do passageiro. No compartimento de carga, destaque para a possibilidade de aproveitar o espaço sob o banco do passageiro, podendo deste modo transportar itens até quatro metros de comprimento. A flexibilidade na utilização do motor e a condução foram apreciadas.

 

DSC_0217

Consumos EU (l/100 km)

(dados construtores)

FORD

TransitCustom

MB

Vito

RENAULT

Trafic

Urbano

7.2

7,3

6,8

Estrada

6.4

5,4

5,3

Combinado

6.7

6,3

6,1

CO2, combinado (g/km)

178

166

160

Consumos (l/100 km)

(AVT 2015)

FORD

TransitCustom

MB

Vito

RENAULT

Trafic

Urbano

8,9

8,6

8,3

Estrada

7.4

6,9

8,7

Combinado

CO2, combinado (g/km)

178

166

160

Média urbana de 28,5 km/h

Média de estrada de 72,0 km/h

 

Ford Transit Custom Van 310 2.2TDCi125 HO L1H1

Mercedes-Benz Vito 111CDI-3,05/32K Medium Lang A2

Renault Trafic dCi 120 TwinTurbo L2H1

Pontos 209

Preço de cada ponto (Finlandia) 178 €

Pontos 209

Preço de cada ponto (Finlandia) 189 €

Pontos 209

Preço de cada ponto (Finlandia) 184 €

A favor

+ Mobilidade na cabina

+ Períodos alargados de manutenção

+ Condução

A favor

+ Facilidade de acesso

+ Posição de condução

+ Suspensões

A favor

+ Motorização

+ Escritório móvel

+ Compartimento de carga

Contra

– Compartimento de carga

– Excesso de botões no painel

– Comandos da climatização

Contra

– Cabina estreita

– Comando do selector

– Espelhos

Contra

– Pouco espaço nos pedais

– Insonorização

– Comando do selector