Download PDF

Através do C Cabrio podemos considerar que a marca alemã retomou a tradição. Por outras palavras e tomando como referência um passado recente, a existência dos Cabrios de quatro lugares, permitia a escolha entre vários modelos na gama.

No entanto, há umas décadas atrás, os descapotáveis estavam mais próximos dos familiares do que dos desportivos. Ao analisar algumas das cotas ou se analisarmos a silhueta lateral, é muito mais fácil imaginar a proximidade conceptual com os SLK do que o tentar comparar com o CLK. A título de exemplo e mesmo com a tampa da bagageira aberta, este C Cabrio ocupa menos de metro e meio em altura (1.486 mm). Outros indicadores ‘desportivos’ estão em algumas das características, como a distância mínima ao solo e em carga (74 mm) ou nos 7,2 segundos necessários para colocar este Diesel a 100 km/h.

Como acontece na generalidade dos Cabrios, a bagageira deste C está condicionada a 285 litros, podendo ir até aos 360 litros mediante aproveitamento do espaço sob o piso da bagageira, quando não existe pneu de reserva. Para complementar a modularidade do espaço na bagageira, a MB propõe como opcional, o rebatimento das costas nos assentos traseiros.

Preço-base

ISV

IVA

Despesas

p.v.p

IUC

40.929,13

7.489,85

13.620,72

72.841,25*

249,48

* inclui 10.365,86 € de extras + 430,89 extensão de garantia

No interior encontramos o habitual refinamento, tanto em termos de materiais empregues como na finalização dos mesmos. E no tocante às conjugações de cores e materiais, estas continuam a chegar a uma considerável paleta de gostos, e o mesmo acontece com os equipamentos de série ou opcionais. No capítulo da segurança activa, este C Cabrio é apresentado com sistema de prevenção de colisão, desactivação automática do “airbag” do passageiro e retrovisores com vidro esférico, entre outros equipamentos de série. Ainda de série mas ao nível do conforto e funcionalidade na condução, destaque para o acelerador automático “speedtronic” actuado apenas com um toque, o acerto dinâmico “dinamic select” que concede a possibilidade de configurar os agregados mecânicos (direcção, motorização, suspensões) de acordo com as preferências de economia, conforto ou performance, o ar condicionado automático, o travão adaptativo com a função “hold” que se torna num precioso auxiliar de arranque nas subidas, e entre outros o accionamento da tampa da bagageira mediante comando. Do lado dos opcionais e além dos estilizados equipamentos da AMG, destacamos o sistema de estacionamento activo, muito útil num automóvel com ângulos de visibilidade condicionados pelas formas, suspensão “airmatic”, e o sistema “command online” que permite a exploração em pleno da conectividade, como por exemplo acontece com o GPS.

Aos comandos

Ao volante deste 250 Diesel (204 cv) existem diversas formas de utilização. Podemos privilegiar a economia de combustível e tirar partido dos bons valores de binário deste motor, muito bem ‘gerido’ através da transmissão 9G-Tronic. Conseguimos tirar partido das boas acelerações e reprises ao efectuar uma condução mais rápida, ou podemos mesmo obter interessantes reacções do motor, mediante utilização manual (patilhas atrás do volante) da transmissão automatizada. Com a capota fechada, demos conta de uma boa filtragem, quer do ruído exterior como das vibrações da mecânica. Acima das 3.000 rpm o motor torna-se um pouco mais ruidoso, mas é por pouco tempo. Perante a aceleração, a resposta do motor é imediata, acontecendo o mesmo com a transmissão e com evidente suavidade. Esta conjugação de tempos de resposta, concede uma harmonia difícil de igualar, e permite que o regime do motor baixe, tornando-se assim mais silencioso. Num breve contacto ao volante, e com média de 49 km/h conseguimos obter 6,6 litros/100 km.

Nos assentos dianteiros e sem a rede de protecção, os passageiros estão bem protegidos perante a habitual turbulência.

Com a capota aberta e como acontece com os descapotáveis, a turbulência ‘invade’ o habitáculo, ficando os passageiros da frente, devidamente protegidos pelos assentos envolventes, e a referida protecção inclui a zona da nuca e ombros. No caso dos passageiros dos assentos traseiros, existem duas situações distintas. Por um lado estão mais desprotegidos do vento, mas face à condicionada habitabilidade, é provável que não existam muito voluntários, mesmo com os assentos dianteiros dotados de um sistema que facilita o acesso aos lugares posteriores.  No que diz respeito à volumetria da bagageira, esta encontra-se limitada, em especial na cota de altura. Para colocar uma daquelas malas com rodas, que se utilizam como bagagem de mão nos aviões, é preciso dar um jeito à mala para que caiba sob o espaço onde a capota vai ficar arrumada. Caso o C Cabrio esteja dotado desse opcional, podem-se rebater as costas dos assentos traseiros e ganhar espaço para objectos mais compridos.

Gostámos –

Gostámos +

– ângulos de visibilidade

– rebatimento dos assentos traseiros em opção

– comportamento dinâmico e versatilidade

– conforto de rolamento

– comandos intuitivos

– refinamento na condução e manobras

– equipamentos de segurança activa

Ficha técnica

Mercedes-Benz C 250 d Cabrio

motor

D22 SCR + common rail + DPF + EGR

potência kW(cv)/rpm

150 (204)/3.800

binário Nm(kgm)/rpm

500 (49,0 )/1.600-1.800

transmissão

automática nove relações

jantes – pneus

AMG 19” – 225/40 Frente + 255/35 Atrás